GP1

Piauí - Teresina

MP-PI denuncia policial Amarildo Carlos à Justiça por peculato

A denúncia foi apresentada pelo promotor de Justiça, João Pereira da Silva, respondendo pela 4ª Promotoria de Justiça de Teresina, no dia 1º de agosto deste ano.

RAISA BRITO

06/10/201716h35
  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Policial civil AmarildoPolicial civil Amarildo

O Ministério Público do Estado do Piauí ofereceu denúncia contra o policial civil Amarildo Carlos de Oliveira Costa acusado de peculato (subtração ou desvio por abuso de confiança, de dinheiro público ou de coisa móvel apreciável, para proveito próprio ou alheio, por funcionário público”.

A denúncia foi apresentada pelo promotor de Justiça, João Pereira da Silva, respondendo pela 4ª Promotoria de Justiça de Teresina, no dia 1º de agosto deste ano.

Segundo inquérito policial, no dia 23 de novembro de 2012, por volta das 8 horas, no bairro Porto Alegre, em Teresina, o denunciado, no exercício de suas atribuições de agente da Polícia Civil do Piauí, obteve a posse e se apropriou de vários bens, tais como câmeras fotográficas, relógios, pulseiras, aparelho de DVD, notebook, quantia em dinheiro, dentre outros, pertencentes a Valdeci Pereira da Silva.

Foi apurado que, naquele dia e horário, uma equipe de policiais integrada por Amarildo, outro policial civil e dois soldados da Polícia Militar, chegou à residência de Valdeci a fim de proceder a diligências acerca de uma notícia de que ali havia motocicletas de origem ilícita.

Então, mediante autorização de Valdeci, os policiais entraram na residência e encontraram duas motocicletas que estavam com restrições de roubo/furto. Foram encontrados ainda na casa duas cédulas de R$ 100,00 em cima de uma impressora com indícios de falsificação.

Valdeci foi encaminhado à superintendência da Polícia Federal acusado de moeda falsa, receptação e uso de documento falso.

Durante audiência na Justiça Federal, Valdeci informou que houve, por parte dos policiais civis, no momento de sua prisão em flagrante, a apropriação indevida de valores pessoais, de modo que a autoridade judiciária determinou a instauração de novo inquérito policial para investigar a denúncia de peculato.

A Justiça Federal declinou da competência e a investigação se deu pela Delegacia Geral de Polícia Civil.

Valdeci declarou que Amarildo comandou a ação e que, apesar de não ter apresentado qualquer mandado judicial, ao encontrar a quantia de R$ 8 mil, contou o dinheiro na frente do denunciante e, ao final, guardou consigo todo o dinheiro, além do policial ter recolhido R$ 950,00 que Valdeci portava na carteira.

Valdeci informou ainda que foram recolhidos vários objetos entre os quais duas câmeras fotográficas profissionais, relógios, pulseiras, aparelho de DVD automotivo, notebook, objetos que ele não recebeu de volta e nem constam no auto da apreensão.

Prisão

O policial Amarildo Carlos foi preso, no início deste ano, acusado de assalto. Ele já é reincidente na prática de assaltos. O agente também é acusado de atirar contra três pessoas durante uma tentativa de assalto que também envolveu o irmão do policial, no bairro Promorar.

MAIS NA WEB