JACINTO TELES

Guarda Municipal: omissão de Firmino Filho causa mais uma greve

20/12/2018 11h26 - atualizado 12h00

Os guardas civis do município de Teresina entram em greve amanhã (21), por tempo indeterminado. A decisão da paralisação indeterminada, foi objeto de deliberação da assembleia geral da categoria, realizada no último dia (17) do mês em curso.

A categoria, por meio do seu presidente, Geilson Henrique Silva Sousa, alega que a gestão não aceita dialogar visando a atender as reivindicações básicas para a melhoria da Guarda Civil Municipal, como: aprovação do estatuto específico (o que é exigência legal), melhorias estruturais (viaturas, coletes balísticos não rotativos, equipamentos de proteção individual, sobretudo para os que pilotam motos), além de um salário minimamente razoável, pois os guardas percebem o pior salário do Brasil, principalmente quando se compara às capitais.

  • Foto: Jacinto Teles/GP1Geilson Henrique denuncia massacre aos guardas municipaisGeilson Henrique denuncia omissão do prefeito Firmino Filho com a Guarda Municipal

“Há dois anos os guardas civis municipais de Teresina tentam, por meio do nosso Sindicato (SINDGCM-THE), buscar melhorias fundamentais, para, de forma mais eficaz atender aos anseios da população teresinense nessa importante área de segurança municipal, mas o secretário da SEMTCASPI, delegado Samuel Silveira e o prefeito Firmino Filho nunca cumprem os acordos, aliás, Firmino Filho sequer dialoga conosco”, declarou Geilson Henrique.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Lançamento da Guarda Municipal de TeresinaGuarda Municipal clama por apoio do prefeito Firmino Filho

Teresina quer e precisa da Guarda Civil Municipal

Teresina quer e precisa da Guarda Municipal, há anos repetimos essa frase, desde quando lutamos como vereador para implantar essa importante instituição de segurança pública municipal, sobretudo voltada ao atendimento comunitário, pois a Lei que criou a Guarda é de nossa autoria e por que não dizer da população de Teresina -, já que conseguimos o maior abaixo-assinado da história desse município em defesa dessa bandeira que tem tudo pra dar certo.

A população já aprovou o trabalho da Guarda Civil, isso é fato irrefutável, basta conversar com os munícipes que presenciam as ações desses abnegados profissionais de segurança pública, mas não é possível conviver com essa omissão permanente do prefeito Firmino Filho (PSDB) acerca da Guarda como prioridade, se não é (prioridade) para o gestor, este, tem que entender que é para a população. O mesmo profissional que desempenha seu trabalho aqui do outro lado do Rio Parnaíba em Timon-MA, percebe a título de remuneração, aproximadamente, o dobro do que percebe o guarda civil municipal de Teresina.

Vale destacar que, não é o guarda civil municipal de Timon que ganha muito bem, não..., é o guarda de Teresina que ganha muito mal. É um salário vergonhoso. Tenho certeza que o nobre chefe do Executivo Municipal, prefeito Firmino da Silveira Soares Filho, não tem coragem de mostrar à população e expor nos meios de comunicação o contracheque de um guarda civil municipal. Sabe por quê? Porque ele se sente envergonhado. Mas, o único culpado dessa triste situação é ele próprio, porque jamais priorizou a Guarda Civil Municipal, basta observar quantos anos se passaram entre a promulgação da Lei de sua criação (2008) pelo Dr. Silvio Mendes e a implantação (2017) por ele (Firmino), esse interstício de tempo representa cerca de 10 anos.

Chega! A Guarda Civil Municipal de Teresina não merece isso, tampouco a população usuária dos seus serviços. O senhor prefeito municipal tem a obrigação de dar uma solução minimamente razoável a esse descaso. O gestor tem que entender que sua vontade pessoal não pode se sobrepor ao interesse público. A categoria sempre esteve e está à disposição para negociar, isso é fato público e notório por meio das declarações dos seus representantes nos mais diversos canais de comunicação de Teresina.

Essa é a minha opinião, salvo melhor juízo.