HERBERT SOUSA

STJ nega mais um recurso ao ex-vereador Djalma Filho

21/02/2019 16h57 - atualizado 17h05

O Superior Tribunal de Justiça julgou na tarde de ontem (20), mais um recurso do ex-vereador Djalma Filho acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista Donizetti Adalto, crime ocorrido em 1998.

A Corte Especial, por unanimidade, rejeitou os embargos de declaração do ex-vereador, que pedia o envio dos autos ao Supremo Tribunal Federal alegando cerceamento de defesa.

O julgamento poderá pôr fim a saga de Djalma Filho, até agora vitoriosa, de escapar do julgamento pelo Tribunal Popular do Júri, contando com a morosidade da Justiça.

  • Foto: Facebook/Djalma Filho- DivulgaçãoDjalma Filho e Donizetti AdaltoDjalma Filho e Donizetti Adalto

A luz amarela da prescrição acendeu e o crime vai prescrever em 19 de janeiro de 2020, caso não seja julgado até lá.

Djalma Filho foi pronunciado pela Justiça em 19 de janeiro de 2000, marco inicial para contagem do prazo prescricional, que é de 20 (vinte) anos.

Ontem, parte da imprensa divulgou erroneamente que o processo poderia ser anulado e voltar à estaca zero, após decisão do STJ que suspendeu a ação na origem atendendo habeas corpus impetrado pelo agricultor Brito Filho.

No caso, a decisão dada beneficia exclusivamente a Brito Filho, já que apenas em relação a ele foi imputada a qualificadora de meio cruel na sentença de pronúncia.

Confira a certidão do julgamento ocorrido ontem:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

STJ vai julgar mais um recurso do ex-vereador Djalma Filho

Caso Donizetti Adalto: Contagem regressiva para a prescrição

Superior Tribunal de Justiça nega mais um recurso de Djalma Filho