Política

Abaixo-assinado: 1,6 milhão pedem impeachment de Gilmar Mendes

A última decisão polêmica do ministro foi soltar o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho.

Andressa Martins
Teresina
22/12/2017 18h11 - atualizado 18h12

Após decisões polêmicas, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes está sendo alvo de um abaixo-assinado que já somam 1,6 milhões de assinaturas pedindo seu impeachment. A petição está hospedada no site change.org e é endereçada ao Senado.

O texto do abaixo-assinado diz que Gilmar Mendes contraria a lei e a ordem constitucional. São mencionados casos de Anthony Garotinho, José Dirceu e do empresário Eike Batista, que segundo o texto, o ministro “concede habeas corpus a poderosos” e que “julga com parcialidade e a favor dos interesses que nem sempre coincidem com o bem comum”.

  • Foto: DivulgaçãoAbaixo-assinado pede impeachment de Gilmar MendesAbaixo-assinado pede impeachment de Gilmar Mendes

A petição foi criada por José Luiz Maffei e cita as três vezes que Jacob Barata Filho, Rei do Ônibus, foi solto por Gilmar, que é padrinho de casamento da filha do réu. Outro caso também citado é o habeas corpus concedido pelo ministro ao banqueiro Daniel Dantas, preso em 2008 pela Polícia Federal.

“O Brasil não pode mais conviver com uma situação dessas, em que um ministro da Suprema Corte não age como operador de justiça, mas como distribuidor de privilégios”, conclui o texto do abaixo-assinado.

Mais conteúdo sobre: