Teresina - PI

Abastecimento deve ser normalizado em uma semana no Piauí

Depois de quase uma semana de bloqueio na saída do Terminal de Petróleo, mais de 30 caminhões deixaram o local para realizar a distribuição nos postos da Capital e do interior.

Brunno Suênio
Teresina
Nayrana Meireles
Teresina
29/05/2018 08h08 - atualizado 09h37

Mesmo com a desobstrução do Terminal de Petróleo de Teresina, ainda na noite dessa segunda-feira (28), muitos postos de combustíveis amanheceram com longas filas com proprietários de veículos, em várias zonas da Capital, à procura de gasolina, etanol e óleo diesel nesta terça-feira (29). A previsão é que o reabastecimento demore uma semana para ser normalizado.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Postos, Alexandre Cavalcante, os postos de todo o estado estão sendo reabastecidos aos poucos. "Agora, cerca de 5% dos postos já estão normalizados no estado. O pessoal trabalhou a noite toda e não havendo nenhum contratempo, em uma semana a situação estará normalizada. O pessoal vai trabalhar no feriado, montaram um regime de plantão aqui. No Norte também montaram um regime de plantão e acredito que se tudo correr normalmente, em uma semana a situação vai estar normal. Vai ser um esforço conjunto dos motoristas, postos e distribuidoras, todo está alinhado no intuito de reestabelecer a normalidade", afirmou.

Depois de quase uma semana de bloqueio na saída do terminal, mais de 30 caminhões deixaram o local para realizar a distribuição nos postos da Capital e do interior.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Fila para abastecer no Posto São Raimundo, na zona leste de TeresinaFila para abastecer no Posto São Raimundo, na zona leste de Teresina

Hoje pela manhã, os motoristas já foram até os postos para tentar abastecer e retomar a rotina. Muitos estabelecimentos ainda não receberam combustível, a maioria deles, nos bairros mais afastados do centro. Na Avenida João XXIII e Dom Severino, por exemplo, já é possível encontrar gasolina.

Resumo da greve dos caminhoneiros no Brasil

Nesta terça-feira (29) a greve dos caminhoneiros ainda persiste em vários estados do país pelo nono dia. No domingo (27) o presidente Michel Temer anunciou a redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel. Apesar do anúncio, caminhoneiros de todo o país seguiram os protestos. Por volta das 20h desta segunda a Infraero informou que 10 aeroportos estavam sem combustível, inclusive o aeroporto Senador Petrônio Portela, em Teresina.

Além de Teresina, estão sem combustível os aeroportos de São José dos Campos (SP), Campina Grande (PB), Uberlândia (MG), Juazeiro do Norte (CE), Foz do Iguaçu (PR), Aracajú (SE), Paulo Afonso (BA), Palmas (TO) e Pampulha (MG). Dos aeroportos administrados pela companhia, 99 voos foram cancelados apenas nesta segunda.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) divulgou que por conta da greve dos caminhoneiros, cerca de 70 milhões de aves já morreram por falta de ração. O número de bloqueios em rodovias, de acordo com a mídia nacional, subiu para 594.