Teresina - PI

Acusado de matar mecânico a tiros em Teresina vai a Júri Popular

A sentença de pronúncia foi dada no dia 19 de junho. Na mesma decisão, foi revogada a prisão preventiva de Guilherme que vai aguardar ao julgamento em liberdade.

Wanessa Gommes
Teresina
03/07/2019 19h09 - atualizado 19h13

O juiz de direito Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri, determinou que Guilherme de Morais Duarte vá a julgamento pelo Júri Popular acusado de matar o mecânico Breno Rafael da Silva Feitosa, em uma oficina localizada no bairro Tabuleta, zona sul de Teresina, em maio de 2017.

A sentença de pronúncia foi dada no dia 19 de junho. Na mesma decisão, foi revogada a prisão preventiva de Guilherme que vai aguardar ao julgamento em liberdade.

  • Foto: Bruna Veloso/GP1Mecânico é alvejado com pelo menos cinco tiros no bairro TabuletaMecânico é alvejado com pelo menos cinco tiros no bairro Tabuleta

Segundo a denúncia do Ministério Público do Estado, o acusado efetuou oito disparos de arma de fogo contra a vítima, no momento em que ela se encontrava em seu local de trabalho, desatenta, conversando com um cliente, levando-a a óbito.

Em seguida, Guilherme empreendeu fuga em uma motocicleta pilotada por um indivíduo não identificado. A motivação do delito teria sido uma "rixa", em razão de a vítima ser aliada de alguns desafetos do denunciado.

O magistrado destacou na sentença que ficaram demonstrados os requisitos do art. 413, do CPP devendo o denunciado ser pronunciado e submetido a julgamento pelo Tribunal Popular do Júri.

Ao final, foi considerado que a prisão perdura por mais 06 meses e que a instrução criminal já se encerrou. “Dessa forma, deve-se reconhecer que não mais persistem os motivos que autorizaram a manutenção da sua custódia”, afirmou o juiz revogando a prisão.

O crime

Breno Rafael Silva Feitosa, 25 anos, foi assassinado com pelo menos cinco tiros, no dia 19 de maio de 2017, quando trabalhava em uma oficina localizada próxima ao balão da Miguel Rosa.

Na época, a polícia relatou que a vítima tinha passagem pela polícia e que o crime tenha sido motivado por conta de uma rixa entre Breno e o suspeito de efetuar os disparos.

Guilherme Morais Duarte foi preso, no dia 19 de dezembro de 2017, durante Operação Natalis deflagrada pela Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre), Polinter e Polícia Rodoviária Federal. Ele foi preso na saída de Teresina para o município de Timon, mais precisamente na BR 343.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Acusado de matar mecânico a tiros em oficina é preso em Teresina

Mecânico é assassinado a tiros na zona sul de Teresina