São Paulo - SP

Alunos da rede de ensino de Teresina recebem medalhas de olimpíadas

A cerimônia oficial da premiação aconteceu na noite da última sexta-feira, 29, no auditório FEA-5 da Universidade de São Paulo (USP).

01/12/2019 15h25

Alunos de escolas da Prefeitura de Teresina e do Programa Cidade Olímpica Educacional brilharam ao receber Medalhas conquistadas nas Olimpíadas Brasileiras de Química Junior e nas Olimpíadas Brasileiras de Ciências.

A cerimônia oficial da premiação aconteceu na noite da última sexta-feira, 29, no auditório FEA-5 da Universidade de São Paulo (USP). Entre os cinco primeiros premiados da escola pública, quatro fazem parte da educação municipal. A aluna do programa Cidade Olímpica Educacional, Evelyn Vitória, foi homenageada como mulher destaque na Olimpíada Nacional de Química Júnior.

“Estamos muito felizes com os resultados alcançados. Esse é um trabalho de muitas mãos. Nossos alunos são espetaculares. Agradecemos ao prefeito Firmino Filho e ao secretário Kleber Montezuma pelo apoio incondicional aos nossos alunos”, destacou Valdete Silva, coordenadora do Programa Cidade Olímpica.

  • Foto: Divulgação/SemecAlunos receberam medalhas em São PauloAlunos receberam medalhas em São Paulo

O Reitor da Universidade Federal do Piauí, professor doutor José Arimatéia Dantas Lopes, participou da solenidade e ficou orgulhoso com o desempenho dos alunos da Prefeitura de Teresina. “Muito orgulho das conquistas dos estudantes, que é resultado do investimento em formação e de professores e alunos motivados”, disse.

Nos últimos anos, Teresina apostou num modelo de formação que coloca o aluno na dianteira do processo de ensino-aprendizagem. Para isso, lança mão de metodologias ativas, investe em formas atrativas que fazem com que os conteúdos das Ciências possam ser tratados de uma maneira significativa, sempre relacionando teoria e prática com vistas a obter sempre os melhores resultados nesse campo de estudos.

O projeto Cidade Olímpica Educacional tem papel importante nessa nova forma de trabalho com o componente curricular de Ciências, na medida em que funciona como um laboratório de práticas e metodologias, que podem ser testadas e ampliadas por toda a Rede.