Saúde

AstraZeneca fecha 1º acordo para fornecer vacinas contra covid-19 a China

Para atender ao mercado chinês, a empresa Shenzen Kangtai vai assegurar capacidade de produção de 100 milhões de doses até o fim de 2020.

Por  Estadão Conteúdo
06/08/2020 09h56

A Shenzen Kangtai Produtos Biológicos vai produzir as candidatas a vacina contra covid-19 da AstraZeneca na China. O anúncio, feito pela farmacêutica britânica nesta quinta-feira, 6, é primeiro acordo de fornecimento ao gigante asiático.

Atualmente, há 165 imunizantes em desenvolvimento para combater o coronavírus - 26 destes estão sendo testados em seres humanos e seis estão na última fase dos ensaios, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para atender a demanda do mercado chinês, a Shenzen Kangtai vai assegurar uma capacidade de produção anual até o final de 2020 de pelo menos 100 milhões de doses do imunizantes experimental AZD1222, que a AstraZeneca desenvolveu com pesquisadores da Universidade de Oxford, da Inglaterra.

Como parte do contrato, a companhia asiática precisa ter capacidade de produzir, no mínimo, 200 milhões de doses até o fim de 2021. As duas empresas também vão explorar a possibilidade de cooperação em relação a vacina em outros mercados, declarou a AstraZeneca.

Ainda não existem vacinas aprovadas contra o novo coronavírus, mas a OMS declarou que a imunização da farmacêutica inglesa é uma das principais candidatas. A empresa assinou acordos de fabricação globalmente para atender seu objetivo de fazer 2 bilhões de doses do imunizante.

Abaixo, entenda as fases de desenvolvimento de uma vacina:

Fase exploratória ou laboratorial: Fase inicial ainda restrita aos laboratórios. Momento em que são avaliadas dezenas e até centenas de moléculas para se definir a melhor composição da vacina.

Fase pré-clínica ou não clínica: Após a definição dos melhores componentes para a vacina, são realizados testes em animais para comprovação dos dados obtidos em experimentações in vitro.

Fase clínica: É a testagem do produto em seres humanos. Esta fase do processo se divide em três:

Fase 1 – a primeira etapa tem por objetivo principal testar a segurança do produto. São testados poucos voluntários, de 20 a 80, geralmente adultos saudáveis.

Fase 2 – a segunda etapa da testagem em seres humanos analisa mais detalhadamente a segurança do novo produto e também sua eficácia. Em geral, é usado um grupo um pouco maior, que pode chegar a centenas de pessoas.

Fase 3 – na última etapa o objetivo é testar a segurança e eficácia do produto especificamente no público-alvo a que se destina. Nesta etapa, o número de participantes pode chegar a milhares. Mesmo depois da aprovação, nova vacina continua sendo monitorada, em busca de eventuais reações adversas.

Mais conteúdo sobre: