Brasil

Atos a favor de Lula no dia do julgamento põem exército "em alerta"

A preocupação do Exército é de que as manifestações possam evoluir para o confronto direto e violento com a polícia.

Bárbara Rodrigues
Teresina
07/01/2018 13h04 - atualizado 13h04

O Exército Brasileiro está em alerta após o líder do Movimento dos Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, anunciar que a Frente Brasil Popular pretende realizar atos em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante o julgamento que ocorrerá no dia 24 de janeiro em Porto Alegre.

Segundo informações do Estadão, a preocupação do Exército é de que as manifestações possam evoluir para o confronto direto e violento com a polícia. O tom da mensagem de Stédile “acendeu a luz de alerta” dos serviços de inteligência das Forças Armadas.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Lula em Teresina Lula em Teresina

Além disso, pode ocorrer um choque entre organizações divergentes, como o Movimento Brasil Livre (MBL), que possui apoiadores do deputado Jair Bolsonaro e os quadros do MST, no campo, ou do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), nas cidades. O MBL se mobiliza para protestos contra Lula no dia do julgamento.

João Pedro Stédile, em vídeo divulgado nas redes sociais, afirmou que ocorrerão manifestações em várias cidades, mas principalmente nas capitais contra o julgamento. Ele ainda anunciou que no segundo semestre o foco dos movimentos passa a ser “abraçar a candidatura de Lula que representa a simbologia da classe trabalhadora”

“Teremos um 2018 cheio de mobilizações, de muita disputa política em que a própria campanha eleitoral se transformará em uma verdadeira luta de classes”, afirmou o líder do MST.

Mais conteúdo sobre: