Polícia

Bandido morto por PM em São Paulo havia matado aposentado

Elivelton foi apontado pela polícia como chefe de uma quadrilha que cometeu latrocínio e carbonizou corpo de um aposentado em 2017.

Cinara Taumaturgo
Teresina
16/05/2018 10h10 - atualizado 10h37

A Polícia Civil de São Paulo aponta que Elivelton Neves Moreira, de 20 anos, morto no último sábado (12) por uma policial de folga, ao tentar assaltar um grupo de mães em frente a uma escola em São Paulo, era chefe de uma quadrilha.

Ele chefiava um grupo de sete pessoas que roubaram o carro de Renato Brígido, de 58 anos. O aposentado foi morto e teve seu corpo carbonizado. O crime aconteceu em 2017.

  • Foto: Reprodução/ TV DiárioChefe de quadrilha que matou e carbonizou aposentando em 2017 foi morto por PM de folga em Suzano (SP)Chefe de quadrilha que matou e carbonizou aposentando em 2017 foi morto por PM de folga em Suzano (SP)

Segundo informações do G1, o aposentado saiu de casa por volta das 23h em Suzano, no dia 30 de agosto, em destino à casa do filho. O caminho que Renato percorreria é de cerca de dois quilômetros, mas o aposentado não chegou ao local. O corpo foi encontrado carbonizado no dia 18 de setembro de 2017, em Poá, São Paulo.

O delegado Edson Gianuzzi, em entrevista ao G1, afirmou que Elivelton foi um dos sete indiciados no crime de latrocínio, ocultação de cadáver e formação de quadrilha. “Esse rapaz foi apontado como chefe da quadrilha, durante o inquérito, por outros envolvidos”, contou o delegado. Gianuzzi ainda afirmou que na época foi pedida a prisão preventiva de Elivelton, mas a justiça não concedeu.

Mais conteúdo sobre: