Teresina - PI

Bandidos se passam por policiais e roubam casas de jogos em Teresina

A polícia divulgou as imagens dos suspeitos e pede que qualquer informação a população ligue para o telefone do GAO, (86) 9 9428-5529.

Wanessa Gommes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
09/07/2019 20h36 - atualizado 20h39

A Polícia Civil do Piauí, através do Grupo de Apoio Operacional (GAO), está investigando denúncia de que um grupo de aproximadamente quatro pessoas está se passando por policiais para roubar dinheiro de estabelecimentos que realizam jogos de apostas em Teresina.

Segundo informações do coordenador do GAO, Joattan Gonçalves, a polícia recebeu várias denúncias de todas as regiões da Capital. “Algumas vítimas nos procuraram dizendo que alguns elementos, 3 ou 4 pessoas, em um carro branco, de modelo Palio, com placa do Rio Grande do Norte, estavam visitando os estabelecimentos comerciais da prática de jogos Bets Bola e também do jogo do bicho”, afirmou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Joatan GonçalvesJoatan Gonçalves

“Eles chegam se apresentando como policiais civis, policiais federais ou funcionários da Receita Federal e dizem que vão recolher tanto o dinheiro, quanto o material utilizado na prática dos jogos”, explicou Joattan.

De acordo com o policial, as vítimas desconfiaram da atuação dos supostos policiais. “Eles começaram a desconfiar que não se tratavam de policiais, porque eles não tinham mandados, não apresentavam carteiras funcionais e apenas faziam questão de que a arma tivesse de forma visível para intimidar as pessoas”, declarou.

  • Foto: Divulgação/PC-PIBandidos se passam por policiais em TeresinaBandidos se passam por policiais em Teresina

O caso mais recente aconteceu nessa segunda-feira (08), na zona norte. “Eles estão atuando em todas as áreas da cidade, inclusive, uma vítima foi abordada na zona norte ontem e o valor levado foi R$ 10 mil. Esses casos estão acontecendo todos os dias e esperamos que a sociedade denuncie”, pediu.

Há informações ainda de que o grupo está agindo no estado do Maranhão. “Temos informações de que eles estão atuando em Timon, mas ainda vamos entrar em contato com as delegacias de lá para ter a certeza se a informação é verídica”, disse o policial.

Além do crime de falsidade ideológica, os acusados devem responder pelo crime de roubo. “Em alguns casos, pela forma da violência, ou de nem terem se identificado, podem reponder por roubo, independente da prática do jogo ser ou não legal, eles subtraíram algo que não é deles”, relatou.

A polícia divulgou as imagens dos suspeitos e pede que qualquer informação a população ligue para o telefone do GAO, (86) 9 9428-5529.