Teresina - PI

Barêtta inicia investigação sobre a morte de jovem na Irmã Dulce

Segundo o delegado Barêtta, o fato do corpo ter sido encontrado despido pode significar uma espécie de “assinatura” de quem realizou o crime.

Davi Fernandes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
15/07/2019 20h38 - atualizado 21h33

Em entrevista ao GP1 nesta segunda-feira (15) o coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Francisco Costa, o Barêtta, informou que as investigações sobre a morte de um jovem identificado como Aldo Franklin de Sousa, 23 anos, morto na noite deste domingo (14), na Vila Irmã Dulce, já foram iniciadas.

Conforme o delegado Barêtta, a mãe da vítima relatou aos investigadores do DHPP que recebeu uma ligação informando que Aldo teria sido preso no sábado por estar em um veículo roubado e clonado. A mãe do jovem foi até a Central de Flagrantes, porém não encontrou ele por lá.

“A mãe dele relatou ao DHPP que por volta de 22h de sábado recebeu uma ligação de que Aldo foi preso por policiais militares e conduzido para a Central de Flagrantes porque estava em um carro clonado e roubado. Ela se dirigiu a central e quando chegou lá os policiais apresentaram para ele um veículo com as mesmas características que ela recebeu na ligação, mas Aldo não estava por lá. Já pela madrugada ela recebeu outra ligação informando que o filho estava morto”, informou.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Delegado Francisco Costa, o BarêttaDelegado Francisco Costa, o Barêtta

Ainda de acordo com o delegado Barêtta, o fato do corpo ter sido encontrado despido pode significar uma espécie de “assinatura” de quem realizou o crime. O DHPP, por meio do delegado Danúbio Dias ainda vai realizar a perícia no veículo apreendido, pois foram encontradas marcas de disparos de arma de fogo.

“Isso sugere muitas coisas, pois pode ser tanto a assinatura de quem deu o tiro ou outras informações que podem enriquecer a investigação. Eu já encaminhei o caso para o delegado Danúbio, que já tem muitas informações a respeito. Já foram colhidos relatos de pessoas sobre o que aconteceu, que ouviram os disparos e em seguida o rapaz pedindo ajuda nos portões. Estamos com as investigações bem encaminhadas e pessoas que vão praticamente elucidar o crime. Ainda não sabemos se ocorreu uma troca de tiros, por isso vamos realizar o laudo pericial sobre o caso, o veículo também vai ser periciado, pois apresenta alguns sinais de que foi atingido por disparos de arma de fogo. Então vamos ver se o tiro ocorreu dentro do veículo ou se foi de fora para dentro”, ressaltou.

Entenda o caso

Os policiais do 17º Batalhão da Polícia Militar foram acionados por populares dando conta que ouviram um disparo de arma de fogo e quando saíram de casa se depararam com o corpo estendido na Rua Nossa Senhora dos Mártires.

“O pessoal só ouviu o disparo, mas ninguém chegou a ver, ninguém sai à noite mesmo por conta do medo. Lá não tinha identificação, só tinha uma tornozeleira eletrônica e estava nu”, destacou o sargento Josimar, que informou que a vítima não era conhecida na região.

A área foi isolada até a chegada dos policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa – DHPP – que fizeram os primeiros levantamentos sobre o caso ainda no local. Após o trabalho dos profissionais da perícia criminal, o corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Teresina.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DHPP identifica corpo de jovem assassinado na Vila Irmã Dulce

Homem é executado com tiro nas costas na Vila Irmã Dulce

Mais conteúdo sobre: