Economia e Negócios

Bolsonaro afirma que apara as arestas da reforma administrativa

A proposta mudará as regras do serviço público para futuros servidores.

Por  Estadão Conteúdo
08/11/2019 07h21

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem que, “a princípio”, enviará a reforma administrativa ao Congresso Nacional na próxima terça-feira, já que é preciso apresentar a proposta com a “menor quantidade possível de arestas”. A proposta mudará as regras do serviço público para futuros servidores.

“A reforma administrativa, a princípio, terça-feira que vem. Pedimos mais uma semana, foi muita boa notícia nesta semana, mais uma semana. Até porque você tem de mandá-la para lá com a menor quantidade possível de arestas. Às vezes, a gente comete um equívoco", explicou.

As declarações de Bolsonaro foram feitas sob forte chuva em frente ao Palácio da Alvorada, onde o presidente costuma tirar selfies com apoiadores e conversar com a imprensa. Uma das respostas de Bolsonaro aos jornalistas foi interrompida pelo barulho de um trovão.

Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, a reforma administrativa vai propor prazos diferentes para que cada carreira alcance a estabilidade no serviço público. “Vamos discutir com cada carreira o tempo de teste. Policiais que precisam correr atrás de bandido podem ter estabilidade mais cedo, mas aqueles ‘carimbadores de papel’ podem ficar estáveis só depois de 15 anos. Vamos debater”, afirmou, ontem, em palestra do evento “Diálogos com o TCU”, organizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU).