Política

Bolsonaro espera que Lula fique preso por muito tempo

Na Argentina, presidente falou com apoiadores sobre a situação do petista, que cumpre pena em Curitiba.

Por  Estadão Conteúdo
06/06/2019 18h08 - atualizado 18h28

Ao deixar o hotel Alvear, em Buenos Aires, para um compromisso na embaixada brasileira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou a apoiadores que espera que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fique “muito tempo” preso em Curitiba. Na terça-feira, o Ministério Público Federal afirmou que Lula já pode ir para regime semiaberto no caso do triplex do Guarujá.

Bolsonaro foi abordado para tirar fotos por brasileiros no hall do hotel, o mais luxuoso da capital argentina, equivalente ao Copacabana Palace, no Rio. O grupo destacou que era de Curitiba, ao que o presidente respondeu: “espero que Lula fique lá por muito tempo (lá)”.

  • Foto: Eduardo Camim/Agência O Dia/Estadão ConteúdoJair BolsonaroJair Bolsonaro

Apesar de alguns brasileiros terem demonstrado apoio a Bolsonaro, uma manifestação contra o presidente, convocada por 64 movimentos sociais, estava programada para o fim da tarde desta quinta-feira, 6, diante da Casa Rosada. Bolsonaro, porém, não deve esbarrar com os protestos, pois não voltará ao centro da capital argentina.

Caso triplex

Condenado em terceira instância na Lava Jato, no caso do triplex do Guarujá, Lula está preso na sede da superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde 7 de abril de 2018. Em dois pareceres encaminhados ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), o Ministério Público Federal afirmou que Lula já pode progredir para o regime semiaberto – quando o condenado sai da prisão para trabalhar durante o dia e retorna à noite. No entanto, Lula e entorno demonstram ceticismo com possível semiaberto.

De acordo com o Código Penal, condenados a penas menores que 8 anos (sendo réus primários, com residência fixa) têm direito ao regime semiaberto. Além disso, a Lei de Execução Penal prevê a progressão para um regime menos rigoroso quando o preso tiver cumprido pelo menos um sexto da pena e apresentar bom comportamento.

Réu no DF

Nesta quinta-feira, o ex-presidente e os ex-ministros Antonio Palocci e Paulo Bernardo viraram réus em outra ação penal. O juiz Vallisney de Oliveira da 10.ª Vara da Justiça Federal em Brasília, aceitou nesta quarta, 5, denúncia por corrupção apresentada contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o empresário Marcelo Odebrecht e os ex-ministros Antonio Palocci e Paulo Bernardo.

Mais conteúdo sobre: