Política

Bolsonaro parabeniza Boris Johnson por eleição para primeiro-ministro

No Twitter, presidente brasileiro indicou aliança entre os países; Donald Trump também felicitou novo governante britânico.

Por  Estadão Conteúdo
23/07/2019 19h18

Líderes de estado de diversos países felicitaram Boris Johnson nesta terça-feira, 23, pela sua eleição ao cargo de primeiro-ministro do Reino Unido e novo líder do Partido Conservador britânico.

Ele substitui a ex-premiê Theresa May, após sua renúncia do cargo em maio, por causa das dificuldades em aprovar o projeto de saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit.

No Twitter, o presidente Jair Bolsonaro incentivou alianças comerciais entre o Brasil e o Reino Unido, ao escrever que Johnson poderia contar com o Brasil "na busca por livre comércio, na promoção da prosperidade para nossos povos, e na defesa da liberdade e da democracia".

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também parabenizou Johnson, escrevendo que "ele será ótimo!".

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, publicou uma foto ao lado de Johnson, com a legenda de que tem a expectativa "de trabalhar juntos de maneira próxima, ambos enfrentando nossos desafios em comum e aproveitando as oportunidades que virão".

Por meio da conta de sua porta-voz no Twitter, Ulrike Demmer, a premiê alemã Angela Merkel também prestou homenagens a Johnson, escrevendo que espera uma boa cooperação entre as nações. "Nossos países devem continuar amigos próximos no futuro".

Impasses

O presidente francês, Emmanuel Macron, um dos líderes europeus defensores de políticas pró-imigração, não escreveu sobre Boris Johnson em sua conta no Twitter. Johnson é defensor de um Brexit, mesmo sem acordo mútuo, o que preocupa especialistas e alguns líderes de estado europeus, como Macron. Além disso, uma das principais bandeiras do Brexit é a possibilidade de independência da União Europeia em relação às políticas migratórias adotadas, consideradas "brandas" pelos conservadores.

Ao invés de Johnson, Macron publicou uma foto e um vídeo de uma coletiva de imprensa concedida ao lado da presidente eleita da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, do mesmo partido de Merkel. Macron afirmou na coletiva que quer trabalhar "o mais rápido possível" com Johnson, não somente em relação às questões europeias, mas também no relacionamento com o Irã e na segurança internacional, assunto que a França está em alinhamento com o Reino Unido e a Alemanha.

Já Von der Leyen afirmou nesta terça que estava ansiosa para uma boa relação de trabalho com Johnson em relação ao Brexit. "Nós temos o dever de entregar algo que é bom para as pessoas da Europa e do Reino Unido".

Sobre o Brexit, o líder da União Europeia para as negociações, Michel Barnier, afirma que pretende "trabalhar construtivamente" com Johnson. Ele reforçou que não pretende alterar o projeto já proposto por May, que contém um item controverso em relação à fronteira entre a Irlanda e a União Europeia. O projeto de May não propõe alterar a dinâmica da região ao implementar fronteira entre os países, item não defendido por Johnson, que insiste numa saída na data prevista para 31 de outubro, mesmo que não se chegue a um consenso.

Irã

Pelo Twitter, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, publicou um vídeo onde fala, em inglês, em um evento. Na legenda, Zarif parabenizou Johnson e citou a apreensão de um navio iraniano em 4 de julho pelas autoridades de Gibraltar, região britânica. "A apreensão de petróleo iraniano durante o governo May em benefício dos EUA é pirataria, pura e simplesmente", escreveu.

Zarif ainda afirmou que "o Irã não quer entrar em confronto, mas temos 2,4 mil km de costa do Golfo Pérsico. Essas são nossas águas e nós vamos protege-las". Em retaliação ao prolongamento de 30 dias da retenção do navio iraniano, o Irã apreendeu um petroleiro britânico na semana passada.

Mais conteúdo sobre: