Teresina - PI

Cadeirante se urina por falta de banheiro acessível na Strans

O denunciante Wilson Gomes é presidente da Associação de Cadeirantes da Capital, que se dirigiu até a sede da Strans para participar de uma reunião sobre a falta de acessibilidade nos terminais.

Laura Moura
Teresina
17/05/2019 12h35 - atualizado 12h42

O presidente da Associação de Cadeirantes de Teresina, Wilson Gomes, gravou um vídeo na manhã desta sexta-feira (17) após passar por uma situação vexatória. Devido à falta de banheiros acessíveis no prédio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), o representante da categoria se urinou depois de participar de uma reunião na sede do órgão.

No vídeo, Wilson Gomes explicou que foi até o prédio para reivindicar a falta de acessibilidade no embarque e desembarque nos terminais de integração da Capital. “Estou aqui nessa manhã para participar de uma reunião para tratar da falta de acessibilidade do embarque e desembarque nos terminais de integração. Mas o que acontece é que eu precisei usar o banheiro aqui na Strans e não tem banheiro adaptado. Não existe banheiro adaptado no prédio da Strans. O que aconteceu? Não tive como acessar, terminei me urinando, passando por esse constrangimento”, comentou.

O presidente da associação ainda destacou que é lei que todos os prédios públicos ofereçam acessibilidade. “Uma lei de 2007 garante que todos os prédios públicos têm que contemplar a acessibilidade e, inclusive, banheiros acessíveis. E como eu posso estar passando por esse constrangimento”, completou.

Agora, Wilson Gomes contou que irá tomar as medidas cabíveis. “Vamos acionar o poder jurídico da Capital, vamos acionar quem for necessário para que isso não se repita. Eu estou passando por um constrangimento terrível. Isso não pode acontecer. Veja, olha a minha situação. Urinado em um prédio público na Strans”, finalizou.

Posicionamento da Strans

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) reconheceu que na sede não existe banheiro acessível aos deficientes físicos. O órgão alega que funciona em um prédio alugado, mas que desde antes do fato ocorrido, medidas já estavam sendo adotadas no sentido de adaptar um banheiro para o uso de cadeirantes.

Confira a nota de esclarecimento:

Com relação ao incidente ocorrido com o presidente Associação de Cadeirantes de Teresina (Ascamte), Antônio Wilson Gomes na recepção da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) esclarecemos que a superintendência funciona em um imóvel alugado, que não tem banheiro adaptado, entretanto desde antes do ocorrido medidas já estavam sendo adotadas no sentido de adaptar um banheiro para o uso dos cadeirantes. Também informamos que o novo prédio do órgão, que está em fase de construção, já conta com um banheiro adaptado, mas o uso ainda não foi liberado porque está em fase de obras. Lamentamos o ocorrido e vamos agilizar a execução da obra de adaptação do banheiro.

Mais conteúdo sobre: