Brasil

CGU acha R$ 1,3 bilhões em ‘pagamentos indevidos’ no Bolsa Família

Segundo o relatório, governo pagou indevidamente mais de R$ 1 bilhão.

Nayrana Meireles
Teresina
04/01/2018 11h09 - atualizado 12h25

Uma auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) nos benefícios do programa social Bolsa Família identificou 345.906 famílias ‘com fortes indícios de terem falseado a declaração da informação de renda’ no cadastro.

Confira o relatório clicando aqui.

Segundo o relatório, o governo pagou indevidamente mais de R$ 1,3 milhão a pessoas que não tinham direito ao benefício. A CGU afirma que quem recebeu o dinheiro indevidamente está sendo localizado.

"Não é aquele indivíduo que aumentou a renda, conseguiu emprego, melhorou que a gente vai atrás. O que nos preocupa é aquele caso da pessoa que já entrou errada, tem um padrão de vida excelente, que está fraudando o programa de fato", afirmou Antônio Carlos Leonel, secretário federal de controle interno da CGU.

  • Foto: Alina Souza/Especial Palácio Piratini/Fotos PúblicasBolsa FamíliaBolsa Família

De acordo com informações do Estadão, a auditoria constatou que existem funcionários públicos recebendo o benefício. Famílias com casa própria e carro de luxo também foram identificadas no cadastro.

A CGU informou que ‘nas situações em que a irregularidade ficar comprovada, após a condução de processo administrativo, serão aplicadas sanções legais, tais como devolução de valor e impossibilidade de retornar ao Programa por um ano’.

O Bolsa Família foi criado em 2003 para atender famílias em condições de extrema pobreza. Tem direito ao benefício a família que tem renda de R$ 170 por pessoa. Algumas famílias apontadas na fiscalização da CGU tinham renda de mais de R$ 1.900 por pessoa.

Mais conteúdo sobre: