Mundo

China vai elevar tarifas sobre produtos dos EUA em junho

Comunicado do governo chinês diz que as novas tarifas de até 25% atingem cerca de US$ 60 bilhões em produtos americanos.

Por  Estadão Conteúdo
13/05/2019 11h56

O Ministério das Finanças da China anunciou em comunicado nesta segunda-feira, 13, que imporá tarifas sobre US$ 60 bilhões em produtos americanos a partir de 1º de junho.

O governo de Pequim afirma que a tarifa americana sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses, que entrou em vigor na última sexta-feira, 10, representa uma "escalada nas fricções econômicas e comerciais" entre os países, "contrária ao consenso entre a China e os Estados Unidos de resolver as diferenças comerciais por meio de consultas", por isso a reação.

A disputa comercial entre os dois países mexe com os mercados de todo o mundo. No Brasil, nesta manhã o dólar já chegou a ser cotado a R$ 4.

O comunicado oficial chinês diz que as novas tarifas do país abrangem cerca de US$ 60 bilhões em produtos americanos, com tarifas de até 25%.

Sobre 2.493 produtos, haverá tarifa de 25%; sobre 1.078, a tarifa será de 20%; sobre outros 974 itens, de 10%; e sobre 595 itens, de 5% - mais de 5 mil produtos serão afetados.

  • Foto: AP Photo/Carlos OsorioPresidente dos Estados Unidos, Donald TrumpPresidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Mais cedo, no Twitter, o presidente Donald Trump defendeu estratégia para o comércio com a China. Nas mensagens, o republicano afirmou que o país asiático não deveria impor retaliações contra produtos americanos, "ou as coisas apenas ficariam piores".

O presidente americano começou a elevar a pressão sobre a China no primeiro domingo do mês, 5, quando anunciou pelo Twitter que a tarifa de 10% imposta a US$ 200 bilhões em bens chineses subiria para 25%. O anúncio fez as Bolsas europeias caírem mais de 2% e as Bolsas chinesas registrarem a sua maior queda diária desde 2016.

O aumento das tarifas passou a valer na última sexta, mesmo dia em que representantes dos dois países se encontraram para nova rodada de negociação em Washington. No Twitter, Trump disse estar preparado para uma longa batalha. Foram dois dias de conversas que acabaram, mais uma vez, sem acordos.

Mais conteúdo sobre: