Teresina - PI

Cida quer Sâmio Falcão na Coordenadoria de Enfrentamento às Drogas

Sâmio Falcão foi candidato a deputado estadual nas eleições de 2018 pelo PHS.

Jonas Carvalho
Teresina
14/04/2019 11h35 - atualizado 12h23

A vereadora de Teresina, Cida Santiago (PSD), revelou que o governador Wellington Dias (PT) ainda não buscou contato com a membro da Câmara para a indicação de um novo nome para estar à frente da Coordenadoria de Enfrentamento às Drogas.

Em entrevista ao GP1, Cida informou que, embora o governador ainda não tenha buscado sugestões com a sigla, o partido busca nomes internos para dar continuidade ao trabalho, avaliado como bom pela vereadora.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Vereadora Cida SantiagoVereadora Cida Santiago

“Nós já estamos com a pasta há algum tempo, temos todo um trabalho desenvolvido em todo o estado. O governador, até o momento, não nos chamou para informar quem iria ficar na pasta. Nós já temos esse trabalho com o governador, ele sabe de todo o nosso trabalho, mas ele é quem tem a decisão final e nós estamos do lado dele. Ele quem decidirá e aquilo quer for acertado, nós continuaremos com o governo”, disse.

Segundo a parlamentar, o nome cotado pelo PSD para assumir a pasta, que hoje é encabeçada por Reginaldo Santiago, é o de Sâmio Falcão, ex-candidato a deputado estadual nas eleições de 2018 pelo PHS.

Questionada a respeito dos critérios de escolha que Dias deva adotar para a seleção do novo coordenador, a vereadora disse que precisa ser alguém que já conheça sobre a política de drogas no estado e enfatiza sobre a opção de ter uma indicação própria.

“O próximo coordenador precisa ser uma pessoa que já conheça a política sobre drogas para que essa política não fique atrasada no nosso estado. Política essa que mais se desenvolveu em todo o Piauí. Claro que a gente espera dar continuidade com uma pessoa nossa, para que ela possa dar continuidade a esse bom trabalho nessa coordenadoria”, completou Cida.

O Cendrogas hoje atua em todo o estado do Piauí prestando assistência a mais de 600 pessoas tanto no processo de reabilitação como na política de prevenção às drogas.

Mais conteúdo sobre: