Ciência e Tecnologia

Cientistas dos EUA investigam origem de objeto interestelar

Especialistas rebatem teoria de que Oumuamua pode ser uma sonda artificial enviada para investigar o sistema solar.

Por  Estadão Conteúdo
08/11/2018 11h39 - atualizado 11h47

Um artigo científico por dois pesquisadores da Universidade Harvard causou repercussão ao afirmar que Oumuamua, uma enorme rocha que atravessa nosso sistema solar, pode ter sido enviada por alienígenas. A tese, contudo, é refutada por outros especialistas da área.

Oumuamua foi descoberto em outubro de 2017 pelo telescópio Pan-STARRS 1, no Havaí. O "mensageiro" - significado do nome em havaiano - tem 400 metros de comprimento por 40 metros de largura e foi registrado por vários telescópios como o primeiro objeto proveniente de fora do sistema solar. Depois de ser descrito como um asteroide, uma equipe da Agência Espacial Europeia avaliou em junho que era mais provável se tratar de um cometa (com gelo que se torna gás perto do Sol).

  • Foto: M. Kornmesser/ European Southern Observatory/ AFPOumuamuaOumuamua

Tese alienígena

Para os pesquisadores de Harvard, em um "cenário exótico" Oumuamua poderia ser uma sonda totalmente operacional enviada intencionalmente para as proximidades da Terra por uma civilização alienígena. A hipótese foi descrita em um artigo que será publicado na segunda-feira, 12, na revista científica Astrophysical Journal Letters.

A ideia rapidamente movimentou o Twitter e a comunidade científica. A razão para esta suposição é que Oumuamua se move em um ritmo mais rápido do que o esperado.

"Atualmente há um fenômeno inexplicável, ou seja, o excesso de aceleração Oumuamua que mostramos pode ser explicado pela força da pressão da radiação solar", disse o astrofísico Shmuel Bialy, coautor do estudo. De acordo com ele, isso só é possível para os corpos celestes "que têm uma grande área e são muito finos, o que não existe na natureza". Portanto, seria possível uma outra explicação: Oumuamua é uma sonda artificial.

Teoria contestada

Os cientistas haviam rejeitado essa teoria logo após a descoberta do objeto, pois não foram caracterizados sinais artificiais no corpo encontrado.

"Como a maioria dos cientistas, eu adoraria que existissem provas irrefutáveis de vida extraterrestre, mas não é assim", afirmou Alan Fitzsimmons, astrofísico da Universidade de Queens, em Belfast, no Reino Unido."Já foi demonstrado que as suas características são semelhantes ao corpo de um cometa expulso de outro sistema solar", disse. "Alguns dos argumentos neste estudo são baseados em pontos incertos."

Katie Mack, astrofísica da Universidade do Estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, também discordou da abordagem alienígena.

"É preciso entender que os cientistas ficam felizes em publicar uma ideia extravagante se tiverem a menor possibilidade de não estarem errados", escreveu no Twitter. "Mas até que cada uma das outras possibilidades não forem esgotadas uma dúzia de vezes, provavelmente nem mesmo os autores acreditam", acrescentou.

Questionado se ele próprio acreditava na hipótese, Bialy afirmou que, como cientista, confia em evidências para explicar de fenômenos. "Eu não diria 'creio' que foi enviado por extraterrestres porque eu sou um cientista, não um crente, e eu confio na evidência para apresentar uma possível explicação física para fenômenos observados."

O outro autor, Avi Loeb, chefe do Departamento de Astronomia de Harvard, disse à NBCque talvez a humanidade não saberá mais sobre o misterioso objeto, pois ele já está muito longe da Terra e não vai voltar. "É impossível adivinhar o propósito por trás de Oumuamua sem mais dados."

Mais conteúdo sobre: