Polícia

Cinco policiais do Piauí foram assassinados em 5 meses em 2017

Dos cinco policiais, apenas um morreu em serviço, que foi o cabo Daniel Marcos Ferreira, três morreram vítimas de assaltos e um foi assassinado pela companheira.

Brunno Suênio
Teresina
31/12/2017 13h00 - atualizado 13h24

Entre os meses de março e julho deste ano, cinco policiais militares do Piauí foram assassinados. Dos cinco, apenas um morreu em serviço, o cabo Daniel Marcos Ferreira, três morreram vítimas de assaltos e um foi assassinado pela companheira.

Somente no mês de março foram duas mortes. O primeiro registro aconteceu no dia 7 de março, quando o policial militar identificado como Valdir do Vale foi assassinado com dois tiros, na Avenida Jóquei Clube, após reagir a um assalto. Duas semanas depois, o comandante do 1° Batalhão da Polícia Militar, major Mayron Moura Soares, foi assassinado com um tiro no peito esquerdo durante um assalto na região do bairro Todos os Santos.

  • Foto: Facebook/Valdir do Vale/Lucas Dias/GP1Cabo Valdir e major MayronCabo Valdir e major Mayron

O sargento reformado da Polícia Militar do Piauí, David Alexandre de Araújo, 63 anos, foi assassinado em sua residência com um golpe de faca pela companheira, identificada como Rosileide Soares Gonçalves Pereira, no dia 9 de abril.

O cabo Daniel Marcos Ferreira foi morto a tiros, no dia 11 de maio, na sede do Grupamento da Polícia Militar, no município de Paquetá. O último assassinato ocorreu na cidade de Timon, no dia 26 de julho, quando o capitão da Polícia Militar do Piauí, Antônio Carlos Pinto Farias, foi morto após trocar tiros com bandidos em um assalto no bairro Parque Piauí.

  • Foto: Facebook/Daniel Marcos Ferreira/Divulgação/PM-PISargento David Alexandre, Cabo Daniel Marcos e Capitão Antônio Carlos PintosSargento David Alexandre, Cabo Daniel Marcos e Capitão Antônio Carlos Pintos

Andamento dos processos

Cabo Valdir

Seis pessoas foram presas e uma menor apreendida envolvidos no crime. Wilberson Sousa da Silva, Luis José de Oliveira Neto, Regifran Marques Santos, José Soares Torres Neto, Juliano Kelson Mourão da Silva e José Ivaldo Firmino de Oliveira Júnior foram presos pouco tempo depois do crime e a menor V. N. P., de 17 anos, estagiária da Clínica Ortomed, foi apreendida suspeita de ter repassado informações privilegiadas aos assaltantes, que realizaram o roubo que resultou na morte do policial militar.

Wilberson Sousa foi solto depois que o juiz de direito Almir Abib Tajra Filho, respondendo pela 8ª Vara Criminal de Teresina, concedeu liberdade provisória no mês de julho.

A audiência de instrução e julgamento do caso está marcada para o dia 26 de janeiro de 2018.

Major Mayron

  • Foto: Divulgação/PMIranilson e WallisonIranilson e Wallison

De todos os casos, este é o único que já teve condenação. Iranilson Pereira dos Santos e Wallison Jhonatan Rodrigues de Sousa foram condenados a 33 anos e 04 meses de reclusão, cada um, pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte) contra o ex-comandante do 1º BPM. A sentença foi dada no dia 5 de setembro.

Sargento David

  • Foto: Divulgação/PMRosileide foi presa em flagranteRosileide foi presa em flagrante

Rosileide foi presa, no entanto, no dia 9 de maio, o juiz de direito responsável pela Central de Inquéritos, Arilton Rosal Falcão Júnior, decidiu pelo relaxamento da prisão de Rosileide Soares determinando a expedição do alvará de soltura da acusada.

Já no mês de agosto, o juiz de direito Antônio Reis de Jesus Nolleto, da 1ª Vara Federal, recebeu denúncia apresentada pelo Ministério Público do Estado contra Rosileide.

Cabo Daniel Marcos

  • Foto: Divulgação/PMAcusado de matar cabo DanielAcusado de matar cabo Daniel

A juíza de direito da 5ª Vara de Picos, Nilcimar R. de A. Carvalho, recebeu denúncia apresentada pelo Ministério Público contra Wagner Bezerra Lima, vulgo “Guiné”, acusado de matar o cabo da Polícia Militar do Piauí, Daniel Marcos Ferreira da Silva. A decisão é de 5 de julho.

A audiência instrução e julgamento aconteceu no dia 28 de setembro no Fórum de Picos e desde o dia 11 de dezembro o processo está concluso para sentença.

Capitão Antônio Carlos Pinto

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1/PC-MAFrancisco das Chagas e Marcelo DouglasFrancisco das Chagas e Marcelo Douglas

Como o latrocínio contra o capitão aconteceu em Timon, o processo tramita na 1ª Vara Criminal da cidade. A denúncia contra os acusados de cometer o crime, Francisco das Chagas da Fonseca, vulgo “Chiquinho”, e Márcio Douglas Lima Vasconcelos, vulgo "Peixeiro" ou "Neguinho, foi recebida pelo juiz Francisco Soares Reis Júnior no dia 22 de agosto.

Atualmente o processo está concluso para o juiz decidir sobre o pedido de revogação de prisão dos acusados.