Política

Ciro Nogueira rebate Wellington e diz que soube de rompimento pela imprensa

O governador Wellington Dias anunciou na quarta-feira o rompimento com o senador Ciro Nogueira, o que pegou muitos aliados de surpresa, inclusive o senador.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
06/08/2020 11h28 - atualizado 11h29

O presidente nacional do Progressistas, o senador Ciro Nogueira, divulgou nessa quinta-feira (6) um vídeo rebatendo as declarações do governador Wellington Dias (PT), que anunciou na quarta-feira (5) o rompimento entre os dois, o que pegou muitos aliados de surpresa, inclusive o senador.

Após muitas tensões e declarações polêmicas por parte de Ciro Nogueira sobre a gestão estadual e principalmente as disputas entre as legendas nas eleições municipais, o governador Wellington Dias decidiu anunciar na quarta-feira o rompimento com o senador. Wellington Dias chegou a declarar que os dois haviam chegado a um entendimento. “Sou grato ao senador Ciro e ele sempre terá meu respeito, mas compreendo que na política, às vezes, cada um precisa seguir seu caminho. Chegamos a esse entendimento, pois ele nos informou que trabalhará na organização de um campo político de oposição. Sempre trabalhei com um time e para que um time seja vitorioso, ele precisa estar unido. Nessas horas, precisamos saber quem é governo e quem é oposição”, disse o governador.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ciro Nogueira Ciro Nogueira

Nessa quinta-feira, o senador decidiu rebater as declarações do governador Wellington Dias. “Fui surpreendido com várias notícias na imprensa no dia de ontem, que afirmaram que rompi relações com o governador Wellington Dias, mais surpreso ainda fiquei com o vídeo gravado pelo governador onde confirma isso. Por isso me vejo na obrigação de esclarecer os fatos e trazer a verdade”, afirmou o senador.

Ciro explicou que em momento algum chegou em um acordo com o governador sobre um rompimento. “De fato nessa semana recebi o governador e o Marcelo Castro, mas em momento algum disse que os Progressistas fariam oposição ao seu governo, pelo contrário, tenho dito que o momento exige união e principalmente que a gente esteja trabalhando pelo Piauí, independentemente de partido e ideologia”, explicou.

O senador ainda destacou que a sua proximidade com o presidente Jair Bolsonaro ajudou a trazer recursos para o Piauí nesse período de pandemia do coronavírus. “O Piauí estaria isolado sem o apoio do presidente Jair Bolsonaro e os prefeitos piauienses não teriam condição e ajudar e gerir e seus municípios”, declarou.

Ciro Nogueira explicou que agora vai trabalhar como oposição, mas ajudando o Piauí. “Apesar da declaração do governador Wellington Dias, venho dizer que vou continuar trabalhando pelo nosso Estado e continuo à disposição do seu governo para trazer os benefícios que o Piauí precisa. Agora estarei mais livre para fiscalizar os atos da administração estadual, como o quadro de inchaço de pessoal e a lacuna com outros excessos de gastos supérfluos no nosso Piauí. Olho no olho, vou dizer o Piauí não é um estado de oposição e de situação, que precisa de apoio do governo federal e de qualquer ajuda que vier”, destacou.

Encontro da bancada

Nessa quinta-feira ainda está sendo realizada uma reunião da bancada do Progressistas para avaliar o impacto do rompimento oficial do governador. O presidente estadual do Progressistas, o deputado estadual Júlio Arcoverde, decidiu se reunir com a bancada do PP para definir quem vai permanecer na base. Os que decidirem sair do governo, vão ter que entregar os cargos que ocupam na administração estadual. Ciro Nogueira não participou do encontro.

Ás 16h, Arcoverde vai se reunir com o governador Wellington Dias para então decidir como ficará a situação do partido na base do Governo.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Wellington afirma que respeita decisão de Ciro Nogueira de deixar o Governo

"Só o tempo dirá", diz Ciro sobre manutenção de aliança com Wellington

Wellington Dias dá ultimato a Ciro sobre permanência na base aliada