Teresina - PI

Começa julgamento de acusado de matar Lorrany Thalya em Teresina

A sessão está ocorrendo no 2º Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina, no Plenário do Fórum Cível e Criminal Desembargador Joaquim de Sousa Neto, 5º andar.

Wanessa Gommes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
17/11/2020 10h29 - atualizado 10h29

Acontece, nesta terça-feira (17), o julgamento de Antuniel Alves de Sousa, acusado de assassinar brutalmente a facadas, sua companheira Lorrany Thalya dos Santos Costa, dentro de um apartamento na noite de 3 de maio de 2019, no Residencial Torquato Neto, zona sul de Teresina.

A sessão está ocorrendo no 2º Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina, no Plenário do Fórum Cível e Criminal Desembargador Joaquim de Sousa Neto, 5º andar. O promotor é Márcio Antônio Monteiro Nobre.

  • Foto: Alef Leão/GP1Isabel CristinaIsabel Cristina

Em entrevista ao GP1, Isabel Cristina, irmã de Lorrany Thalya, contou que a família espera por Justiça ao final do julgamento. "A gente aguarda que seja feita Justiça, depois de 18 meses de espera, de 18 meses de dor, e assim, acredito que a Justiça possa fazer o papel dela, porque é algo que ela deve à sociedade, porque esse compromisso tem que ser feito, isso não vai trazer ela de volta, mas pode ser um paliativo à dor que a gente sente nesse momento", afirmou.

"Lorrany tinha 21 anos quando foi morta, alguns dias depois ela faria 22 anos, e deixou uma filha de 2 anos, a quem a gente tenta proporcionar um ambiente saudável porque é necessário, é o mínimo que a gente pode oferecer para essa criança. Ela nunca esqueceu da mãe, pergunta sempre por ela, que a gente possa dar uma resposta pra ela, porque ela não perdeu só a mãe, perdeu o pai também", declarou.

  • Foto: Alef Leão/GP1Familiares de Lorrany querem JustiçaFamiliares de Lorrany querem Justiça

Ainda segundo Isabel, mesmo que Antuniel seja condenado e fique preso, quem sempre ficará reclusa é a família. "Esperamos sair daqui com uma definição, a gente sabe que o Código Penal estipula uma pena de 12 a 30 anos de reclusão, na verdade, essa reclusão não é por parte dele, mas quem estamos reclusos somos nós, que estamos presos nessa situação, mas esse nosso sentimento continua, isso é somente um curativo na nossa ferida, ela não vai se fechar nunca", finalizou.

O crime

Lorrany Thalya, 21 anos, foi assassinada com várias facadas pelo companheiro Antuniel Alves de Sousa, de 24 anos, na noite de 3 de maio de 2019, dentro de um apartamento no Residencial Torquato Neto IV, na zona sul de Teresina. A vítima foi golpeada em várias regiões do corpo e o acusado foi preso horas depois do crime.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Antuniel Alves de Sousa durante audiênciaAntuniel Alves de Sousa durante audiência

No dia 11 de junho, a juíza Maria Zilnar Coutinho Leal recebeu denúncia do Ministério Público do Estado do Piauí contra o acusado que se tornou réu pelo crime de feminicídio.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Acusado de matar Lorrany Thalya a facadas será julgado nesta terça

Acusado de matar companheira no Torquato Neto vira réu na Justiça

Corpo de jovem morta no Torquato Neto é velado em Nazária

Jovem de 22 anos é morta a facadas pelo companheiro no Torquato Neto