Piauí

Contratos alvos da PF não foram firmados na gestão estadual, diz Sesapi

“A Secretaria de Saúde avalia como positiva as fiscalizações e se coloca à disposição dos órgãos de controle para auxiliar no que se fizer necessário”, diz trecho da nota.

Wanessa Gommes
Teresina
04/09/2019 15h52 - atualizado 16h01

A secretaria estadual de Saúde do Piauí (Sesapi) enviou, na tarde desta quarta-feira (04), nota de esclarecimento acerca da "Operação Peloponeso" deflagrada pela Polícia Federal, nesta manhã, que teve como objetivo o cumprimento de mandados de busca e apreensão relacionados ao crime de desvio de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) nas cidades de Teresina, Picos e Brasília-DF.

Em nota, a Sesapi afirmou que os contratos alvos da operação não foram celebrados na gestão estadual e que a aprovação do credenciamento das referidas clínicas investigadas se deu mediante homologação nas Comissões Intergestoras que possuem atribuições para tais atos.

“A Secretaria de Saúde avalia como positiva as fiscalizações e se coloca à disposição dos órgãos de controle para auxiliar no que se fizer necessário”, diz trecho da nota.

Confira abaixo a nota na íntegra:

NOTA

A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí informa que os contratos, objeto da Operação Peloponeso, realizada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (4), não foram celebrados com a gestão estadual. Já a aprovação do credenciamento das referidas clínicas investigadas se deu mediante homologação nas Comissões Intergestoras que possuem atribuições para tais atos.

A Secretaria de Saúde avalia como positiva as fiscalizações e se coloca à disposição dos órgãos de controle para auxiliar no que se fizer necessário.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Dinheiro desviado do SUS em Picos atenderia 400 mil pacientes, diz PF

PF deflagra Operação Peloponeso e cumpre mandados em clínicas no Piauí