Coronavírus no Piauí

Coronavírus: Valdeci Cavalcante pede que empresas evitem demissões

Valdeci ainda pede que os empresários não se preocupem com pagamento de impostos, pois "foi o Governador e os Prefeitos que, de forma brusca e sem nenhum diálogo, determinaram o fechamento".

Bárbara Rodrigues
Teresina
26/03/2020 12h55 - atualizado 14h32

O presidente da Fecomércio no Piauí, Valdeci Cavalcante, publicou nesta quinta-feira (26) uma carta onde pede aos empresários piauienses que evitem demissões e mantenham os empregados e, assim que possível, façam o pagamento dos salários. Ele ainda pediu que a categoria não se preocupe com atrasos nos pagamentos de impostos e taxas, pois o governo e os prefeitos vão ter que fazer um acordo.

Com a determinação do governo estadual de fechar o comércio, mantendo somente os serviços essenciais, para evitar a proliferação do novo coronavírus, Valdeci Cavalcante afirmou que a categoria empresarial está sofrendo várias consequências.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Escritor Valdeci CavalcanteValdeci Cavalcante

Apesar disso, ele pede que os empresários continuem mantendo em seus quadros os empregos dos seus colaboradores, fazendo grande esforço para pagar seus salários. Assim como na medida do possível continuem efetivando o pagamento de seus fornecedores e prestadores de serviços à sua empresa, pois eles estão sofrendo das mesmas dificuldades.

“Com relação ao pagamento de impostos e outras taxas públicas e bancos, aconselho à Vossas Senhorias que orientarem seus liderados no sentido de não se preocuparem com atrasos nesses recolhimentos, pois os mesmos poderão ser objeto de parcelamentos futuros. Uma vez que, foi o Governador e os Prefeitos que, de forma brusca e sem nenhum diálogo, determinaram o fechamento de nossas empresas”, afirmou Valdeci Cavalcante.

Confira a carta na íntegra:

Carta Circular Interna Nº 001

Teresina, 26 de março de 2020.

Ilmos. Senhores e senhoras presidentes de Sindicatos

A Diretoria desta FECOMERCIO/PI decidiu emitir a presente Carta Circular, à ser observada pela nossa categoria, nos seguintes termos:

Considerando as reconhecidas dificuldades que vem sofrendo a nossa categoria empresarial com o fechamento brusco de nossas empresas, encerrando todas as nossas atividades;

Considerando que não estamos realizando qualquer tipo de venda de bens ou serviços, consequente não estamos arrecadando qualquer valor em pecúnia;

Considerando o nosso confinamento e engessamento de nossas empresas;

Considerando as dificuldades por que passam os nossos inúmeros empregados, que representam 80% dos trabalhadores do Piauí;

Considerando o nosso dever de solidariedade, amizade e reconhecimento para com nossos colaboradores;

Vimos propor às nossas lideranças empresariais que orientem à sua categoria empresarial, no sentido de que:

1. Continuem mantendo em seus quadros os empregos dos seus colaboradores, fazendo grande esforço para pagar seus salários.

2. Na medida do possível continuem efetivando o pagamento de seus fornecedores e prestadores de serviços à sua empresa, pois estão sofrendo das mesmas dificuldades.

3. Com relação ao pagamento de impostos e outras taxas públicas e bancos, aconselho à V.Sas. orientarem seus liderados no sentido de não se preocuparem com atrasos nesses recolhimentos, pois os mesmos poderão ser objeto de parcelamentos futuros. Uma vez que, foi o Governador e os Prefeitos que, de forma brusca e sem nenhum diálogo, determinaram o fechamento de nossas empresas.

SEM VENDAS, SEM IMPOSTOS!

Valdeci Cavalcante

Presidente da Fecomércio Sesc Senac-PI

NOTÍCIAS RELACIONADAS

"A economia não pode parar", diz Valdeci Cavalcante sobre coronavírus

Advogado pede prisão de Bolsonaro ao STF por discurso sobre coronavírus

Com coronavírus, Banco Central passa a prever PIB zero em 2020