Teresina - PI

Covid-19: empresários decidem reabrir comércio e retomar obras no Piauí

Valdeci Cavalcante ressaltou que esse é um ato desesperado dos setores, que lutam para sobreviver em meio à crise econômica.

Thais Guimarães
Teresina
26/05/2020 17h04 - atualizado 21h01

O presidente da Federação do Comércio do Estado do Piauí (Fecomércio), Valdeci Cavalcante, em entrevista exclusiva ao GP1 na tarde desta terça-feira (26), afirmou que vai retomar imediatamente as obras de construção civil do Sesc/Senac e que lojas dos bairros de Teresina vão reabrir nos próximos dias, mesmo vigorando os decretos de isolamento social por conta da pandemia de coronavírus (covid-19). O advogado ressaltou que esse é um ato desesperado dos setores, que lutam para sobreviver em meio à crise econômica.

A decisão foi tomada em reunião com diversos setores empresariais, realizada no auditório da Fecomércio na manhã desta terça (26). “Alguns [setores] decidiram pela abertura, alguns vão abrir, por exemplo, o Sesc e Senac têm cerca de oito obras paradas no Piauí e nós vamos retomar todas, já mandei retomar e já estamos nos preparativos, porque a Construção Civil tem um decreto federal que se sobrepõe ao decreto estadual e municipal, o presidente Bolsonaro, com base legal editou o decreto, dizendo que Construção Civil é atividade essencial”, declarou Valdeci.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Valdeci CavalcanteValdeci Cavalcante

Os proprietários de lojas nos bairros de Teresina também vão reabrir, segundo o vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

“Muitos pequenos, nos bairros [vão reabrir], porque no Centro ninguém está indo, então abrir lá pra quê? Nos bairros as pessoas decidiram que vão retomar suas atividades corajosamente”, colocou Valdeci.

Segundo o advogado, não é possível precisar o percentual de empresários que vão reabrir seus empreendimentos. “Não posso afirmar [o percentual], porque é muito pessoal a decisão de cada um”, explicou.

Advogados em casos de intervenção policial

Valdeci Cavalcante informou que a Fecomércio vai disponibilizar advogados para atenderem aos empresários, em casos de intervenção policial em seus estabelecimentos. “Estamos com 15 advogados contratados, já passei os telefones dos advogados, qualquer problema a pessoa vai na polícia o nosso advogado vai lá, defende, solta, e ele [empresário] volta e abre de novo”, reforçou.

Danos materiais e morais

O presidente da Fecomércio revelou que os advogados vão ajuizar ações por danos materiais e morais em nome dos empresários que tiveram prejuízos desde a suspensão das atividades econômicas no estado.

“Uma coisa muito importante que foi deliberada hoje é o seguinte, esses nossos advogados contratados vão entrar com centenas de ações judiciais pedindo indenização da Prefeitura e do Governo do Estado, por danos materiais e morais, pelo prejuízo que foi causado aos que fecharam suas empresas e àqueles que estão em tremenda dificuldade”, enfatizou Valdeci.

O que diz o Sindilojas

O GP1 também conversou com Tertulino Passos, presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado do Piauí (Sindilojas). Ele explicou que o encaminhamento oficial da entidade é de aguardar a liberação oficial por parte do Estado e do Município, mas cada empresário tem autonomia para reabrir ou não, desde que assuma a responsabilidade pela decisão.

“É por conta em risco dele. Ele tem [autonomia], qualquer pessoa pode abrir, mas é por conta em risco de cada um, ele pode ter inclusive o alvará cassado pela Prefeitura, por isso a gente não recomenda diretamente isso”, argumentou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Wellington Dias mantém fechamento do comércio até o dia 07 de junho

Comitê expõe regras para retorno das atividades comerciais em Teresina