Coronavírus no Piauí

Covid-19: Franzé Silva repudia discussão sobre adiamento das eleições

“Não é o momento propício [para discutir eleições]. A classe política tem que centrar todos os esforços para salvar vidas e a economia do País”, criticou o deputado petista.

Germana Chaves
Teresina
25/03/2020 17h28 - atualizado 18h26

Durante entrevista ao GP1 nesta quarta-feira (25), o deputado estadual Franzé Silva (PT-PI), criticou a postura dos políticos que têm dado atenção as questões relacionadas ao destino das eleições municipais deste ano.

Franzé advertiu que ao invés de ficar discutindo o adiamento do pleito, os líderes políticos deveriam centrar esforços para combater o coronavírus (covid-19) e os efeitos da pandemia na economia do País.

“Não é o momento propício [para discutir eleições]. A classe política tem que centrar todos os esforços para salvar vidas e a economia do País”, criticou o deputado petista.

  • Foto: Alef Leão/GP1Franzé SilvaFranzé Silva

Propostas

O senador Elmano Férrer (Podemos-PI) está coletando assinaturas para aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata sobre o adiamento do pleito por dois anos. Com isso, conforme a PEC, o Brasil teria eleições unificadas em 2022.

A mesma bandeira está sendo empunhada por outro senador piauiense. Ciro Nogueira (Progressistas) defende que o fundo eleitoral no valor de R$ 2 bilhões seja destinado para a Saúde do País para combater a pandemia. O mesmo ocorreria com a quantia de mais R$ 2 bilhões, que seria usada para custear as despesas do dia da eleição.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, também veio à público na semana passada, pedir para que a classe política comece a amadurecer os debates para adiar o processo eleitoral previsto para ser realizado em outubro deste ano.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Elmano Férrer protocola PEC para adiar eleições municipais

Após alerta de Mandetta, Ciro volta atrás e sugere adiamento das eleições

'Esse travamento do país é péssimo para saúde', diz Mandetta

Após alerta de Mandetta, Ciro volta atrás e sugere adiamento das eleições