Coronavírus no Piauí

Covid-19: médicos temporários do HGV denunciam falta de pagamento

Em resposta, o diretor do HGV, Gilberto Albuquerque, afirmou que o pagamento dos servidores não efetivos ocorre sempre com um mês depois e garantiu que serão pagos no dia 08 de junho.

Brunno Suênio
Teresina
03/06/2020 18h00 - atualizado 18h48

Médicos contratados para trabalhar temporariamente no combate a covid-19 no Hospital Getúlio Vargas (HGV) denunciaram ao GP1, na tarde desta quarta-feira (03), que estão sem receber pagamento desde o início das atividades, no dia 08 de abril deste ano.

Um dos profissionais, que não quis ser identificado, relatou que participou do processo seletivo, que teve como objetivo contratar profissionais para atuar no atendimento médico a pacientes diagnosticados com a covid-19, e desde então ainda não foi remunerado.

“Nós estamos todos revoltados, porque o dinheiro está disponível, porém, nunca foi repassado para os médicos. A gente deu entrada no processo no início de abril, desde então entregamos toda documentação solicitada e já estão com três semanas, afirmando que vão pagar e nada. Já devíamos ter recebido o primeiro mês em maio, mas está atrasado, ainda não recebi nem o mês de abril. E assim temos uma escala imensa de médicos seletivos emergenciais, cerca de 20 médicos, somente no HGV”, reclamou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Hospital Getúlio VargasHospital Getúlio Vargas

Conforme o profissional, além dos médicos clínicos gerais, demais médicos com especialidades se encontram na mesma situação. Ele pontuou que estão prestando serviço normalmente, se expondo ao risco de contaminação e sem remuneração. “Tanto UTI, quanto enfermaria estão sem receber. Eu sou clínico geral, têm outros clínicos também e há especialidades diversas que estão juntas combatendo, como dermatologistas e ortopedistas, ninguém recebeu. O que eles dizem é que o pessoal da gestão nos daria uma posição, porém eles nos relatam sempre que vão pagar na semana seguinte ”, acrescentou.

O que diz a direção do HGV

Em entrevista ao GP1 nesta quarta-feira (03), o diretor do Hospital Getúlio Vargas, Gilberto Albuquerque, afirmou que o pagamento dos servidores não efetivos ocorre sempre com um mês depois, mas garantiu que os profissionais receberão a remuneração entre os dias 08 de 10 de junho, referente ao mês de abril.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Diretor do HUT, Gilberto AlbuquerqueDiretor do HUT, Gilberto Albuquerque

“Quem trabalha no serviço público em abril recebe o dinheiro em junho, porque o hospital tem até 10 dias, depois que encerra o mês, para fazer o processamento interno da folha. A Fundação Hospitalar tem 10 dias para concluir o processo e isso deve chegar ao banco no dia 08 de junho. Então esse recurso em entra de 08 a 10 de junho. Quem é servidor não efetivo trabalha um mês, o trâmite do documento dura mais um mês e e no outro ocorre o pagamento”, explicou.

O diretor ressaltou ainda que os profissionais receberão o pagamento referente ao mês de abril em junho e o mês de maio será pago em julho. “Fica sempre um mês dentro, isso ocorre por que a folha de pagamento dos profissionais de processo seletivo só pode ser enviada depois que o mês conclui”, finalizou.