Teresina - PI

Cresce o número de madeira ilegal apreendida pela PRF no Piauí

Conforme os dados apresentados, entre os meses de janeiro e novembro de 2019, foram contabilizados 2.081,37 m³ de madeira ilegal apreendida durante operações de rotina no estado.

Jonas Carvalho
Teresina
23/11/2019 18h50 - atualizado 18h52

A Polícia Rodoviária Federal divulgou na tarde deste sábado (23) o balanço geral sobre as apreensões de cargas de madeira sem licença ambiental no Piauí. Conforme os dados apresentados, entre os meses de janeiro e novembro de 2019, foram contabilizados 2.081,37 m³ de madeira ilegal apreendida durante operações de rotina no estado.

Somente em 2018, 1.267,33 m³ de madeira ficaram retidos nos postos da PRF em solo piauiense. Em comparação aos dados apresentados no ano anterior, houve um acréscimo de 39,12% no total de apreensões de madeira sem registro de licença ambiental em solo piauiense. As porcentagens equivalem a mais de R$ 200 mil em apreensões realizadas a carregamentos geralmente provenientes do estado do Pará, região norte do Brasil.

  • Foto: Hélio Alef/GP1Polícia Rodoviária Federal Polícia Rodoviária Federal

O Piauí virou rota de passagem

Segundo o inspetor Alexsandro Lima, da PRF, durante entrevista ao GP1, em 2018 o Piauí garantiu a 4ª colocação no volume de madeira sem licença ambiental confiscada, atrás apenas dos estados do Mato Grosso, Pará e Rondônia. No entanto, distante de ser uma região produtora, o território piauiense ganhou destaque como uma das principais rotas de passagem de contrabandistas rumo às grandes capitais nordestinas, como Natal-RN, Maceió-AL e Salvador-BA.

A esse fator, o agente de polícia esclarece que o atual contingente operacional da corporação apresenta déficits nas rodovias do Estado, mas que o número não retarda a eficácia nas operações rotineiras. “Toda instituição tem as suas carências de pessoas, a Polícia Rodoviária Federal não é diferente. Porém, a PRF tem se reinventado nesse trabalho de fiscalização com a utilização de uma melhor capacitação dos nossos servidores, utilização de sistemas de inteligência e o trabalho de parceria com outras instituições relacionadas à segurança pública”, disse.

Trabalho integrado

Aliado ao trabalho integrado das polícias Militar e Civil, Secretaria de Segurança, IBAMA, Secretaria do Meio Ambiente, Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho, a PRF destina a instituições regionais todo o produto retido, como finaliza o inspetor Alexsandro Lima.

“Muitas vezes são doados para instituições filantrópicas, para instituições policiais como a Polícia Militar, Civil, construções de postos, unidades operacionais, de casas populares. Essas mercadorias são destinadas, são doadas pelos órgãos ambientais para essa destinação”, concluiu.