Economia e Negócios

Dólar recua e Bolsa tem recuperação com cenário externo otimista

Expectativa de alta hospitalar do presidente americano, Donald Trump, e a espera por um acordo para adoção de novos estímulos econômicos nos Estados Unidos.

Por  Estadão Conteúdo
05/10/2020 12h07

O ambiente mais otimista no mercado internacional impulsiona os índices da Bolsa de Nova York e favorece a evolução dos ativos brasileiros na manhã desta segunda-feira, 5, ainda que de maneira moderada. O Índice Bovespa abriu em alta e o dólar se enfraquece ante o real, refletindo a melhora do humor do investidor estrangeiro com o noticiário mais ameno. Esse noticiário inclui a expectativa de alta hospitalar do presidente americano, Donald Trump, e a espera por um acordo para adoção de novos estímulos econômicos nos Estados Unidos, além de alguns indicadores econômicos positivos na zona do euro.

Em meio ao ambiente de maior apetite por risco, o presidente do Grupo Banco Mundial, David Malpass, alertou para o risco de que os efeitos da crise provocada pelo coronavírus levem a uma "década perdida", com colapso de sistemas de saúde e educação, baixo crescimento econômico e alto nível de endividamento. "(A pandemia) jogou mais economias em recessões simultâneas do que em qualquer momento desde 1870", disse, durante evento virtual organizado pela Escola de Finanças e Administração de Frankfurt.

No cenário doméstico, é grande o desconforto com o risco de descumprimento do teto de gastos pelo governo em meio a tentativas de manobras da ala política para flexibilizar o teto de gastos e emplacar o programa social Renda Cidadã, cujas fontes de recursos seguem indefinidas. "O desgaste do ministro da Economia, Paulo Guedes, defensor do teto, é enorme e a postura dúbia do presidente Jair Bolsonaro sobre a questão eleva o temor dos investidores", afirma o operador Hideaki Iha, da corretora Fair. Por isso, segundo ele, a queda do dólar ante o real é moderada e a moeda até já subiu, de forma pontual.

O presidente Jair Bolsonaro recebeu no Palácio da Alvorada o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o senador Márcio Bittar (MDB-AC), que é relator do Orçamento de 2021, e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. O ministro da Economia, Paulo Guedes, que trocou críticas com Marinho na sexta-feira, não esteve presente. O encontro durou cerca de uma hora. Na saída, as autoridades evitaram falar com a imprensa. A reunião não estava prevista na agenda oficial dos participantes.

Às 11h17, o Ibovespa tinha alta de 0,66%, aos 94.633,30 pontos. A leve alta é puxada principalmente por ações de empresas ligadas a commodities, acompanhando a evolução dos preços no mercado internacional. Papéis do setor financeiro, destaque de alta na sexta-feira, hoje operam majoritariamente em baixa. No câmbio, o dólar à vista tinha baixa de 0,83%, cotado a R$ 5,6133.

Mais conteúdo sobre: