Teresina - PI

Elmano Férrer diz que não tem nada a oferecer a Renato Berger

"Hoje para trazer qualquer liderança do interior ou da capital tem que ser em troca de algo e eu não tenho nada a oferecer. Sou muito franco”, disparou Elmano.

Germana Chaves
Teresina
24/06/2019 07h57 - atualizado 08h41

Após o suplente de vereador de Teresina Renato Berger ter revelado ao GP1 que tem sido desprestigiado dentro do Podemos, nossa reportagem procurou o presidente do Diretório Regional do partido no Piauí, o senador Elmano Férrer para falar sobre o assunto.

Durante a entrevista na última sexta-feira (21), o senador foi enfático ao afirmar que não tem nada a oferecer a Berger ou a qualquer outro nome que venha reclamar uma estrutura maior para viabilizar candidaturas para as eleições de 2020.

Elmano chegou a criticar o que ele chamou de velha política que consiste em um fechamento de aliança em troca de cargos ou favores. Para Férrer, combater esse tipo de comportamento tem sido um de seus maiores problemas.

  • Foto: Helio Alef/GP1Senador Elmano FérrerSenador Elmano Férrer

“Estamos com dificuldades estruturais e de fazer determinadas ações. Vivemos um momento diferente, antes se fazia política com cargos e benesses, agora não vejo abertura para isso. Defendo que temos que mudar. Hoje para trazer qualquer liderança do interior ou da capital tem que ser em troca de algo e eu não tenho nada a oferecer. Sou muito franco”, disparou Elmano.

Paralelas as críticas, o senador afirmou que vai tentar dialogar com Renato Berger e com os demais nomes do Podemos que estejam insatisfeitos, mas frisou que aqueles que estiverem dispostos a colaborar sem exigências, terão espaço garantido dentro da sigla.

“Vou tentar diálogo com todos, mas estou sabendo que há uma inquietação de algumas pessoas. Devemos acabar essa velha política do toma lá, dá cá, inclusive, essa é uma das dificuldades que estou tendo. Já cansei! Todos que quiserem um partido fortalecido, deixando de lado as velhas práticas, estamos de portas abertas”, afirmou ele.

Berger

Além de ter criticado o Podemos, durante a entrevista ao GP1, Renato Berger também voltou a ‘artilharia’ para o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB). O suplente de vereador afirmou que foi descartado pelo tucano no momento em que foi tirado do comando da Secretaria de Esportes da Capital para acomodar o PP do senador Ciro Nogueira Filho. No lugar de Berger, Firmino optou por acomodar Miguel Rosal, assessor direto de Ciro.

NOTÍCIA RELACIONADA

Renato Berger diz que foi descartado pelo prefeito Firmino Filho