Piauí

Evangelina Rosa realizou mais de 200 cirurgias neonatais em 2020

Na maternidade são realizadas cirurgias neurológicas e pediátricas em crianças de 0 a 28 dias de vida.

12/11/2020 17h54 - atualizado 17h58

Unidade de referência em cirurgias neonatal no Piauí a Maternidade Dona Evangelina Rosa já realizou 203 procedimentos cirúrgicos em recém-nascidos este ano. Mesmo com a pandemia da covid-19 a maternidade manteve aberto o centro cirúrgico para prestar tratamento de excelência às crianças.

Na maternidade são realizadas cirurgias neurológicas e pediátricas em crianças de 0 a 28 dias de vida. Em 2019 foram feitas 54 neurocirurgias e 172 cirurgias pediátricas. De janeiro a outubro de 2020 foram 28 neurocirurgias e 185 cirurgias pediátricas.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Maternidade Evangelina RosaMaternidade Evangelina Rosa

“Somos a única maternidade que realiza esse tipo de procedimento em recém-nascidos no Piauí. Quando detectamos a necessidade de interferência ainda na gestação já preparamos nossos profissionais para a intervenção pós-parto”, explica o diretor clínico da Maternidade Dona Evangelina Rosa e coordenador Estadual do Método Canguru, Marcos Bittencourt.

A Maternidade Dona Evangelina Rosa já recebeu a qualificação máxima do Ministério da Saúde para o Método Canguru, uma política nacional de saúde que integra um conjunto de ações voltadas para a qualificação do cuidado ao recém-nascido e sua família.

“O Método Canguru é um modelo de assistência ao recém-nascido prematuro e sua família que tem chancela da OMS. A maternidade vem ao longo dos anos conseguindo atingir as metas exigidas com pontuação máxima permitida”, destaca o diretor clínico.

Os números de óbitos neonatais, na unidade de saúde, também vem apresentando redução nos últimos quatro anos. Somente nos primeiros seis meses de 2020 houve uma queda de 27,13% dos casos em relação ao mesmo período do ano passado, a média ficou em 17 óbitos (A cada mil nascidos vivos). Essa redução nas mortes neonatais vem acontecendo desde 2016, quando foram registrados 30,25 óbitos. Nos anos seguintes 2017, 2018 e 2019, a desaceleração também se manteve.

“A desaceleração está atrelada ao processo de restruturação física que a maternidade vem passando, com a modernização do maquinário, da qualificação dos profissionais de saúde e o fortalecimento do pré-natal na Atenção Básica”, lembra o diretor da MDER, Francisco Macêdo.

A diminuição da morte neonatal faz parte do Plano de Prevenção à Mortalidade Materna e na Infância da Sesapi, que pretende melhorar os indicadores que não só no Piauí como no Brasil estão muito acima do que a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera aceitável. O intuito é chegar a 2023 com os números de mortalidade materna em 56,5 óbitos; infantil neonatal em 9,35 e a infantil (até 5 anos), de 16,04 casos ao mês.

“O objetivo é chegar 2023 com 21% a mortalidade materna, 15% a mortalidade infantil neonatal (crianças até 28 dias de vida) e 7,5% a mortalidade infantil de crianças até cinco anos de idade. E estamos logrando êxito com os números apresentados pela Maternidade Dona Evangelina Rosa, que conseguiu uma queda nos últimos três anos, e pretendemos nos próximos trabalhar para atingir nossa meta de 15%”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) realizou uma série de investimentos na maternidade, que recebeu equipamentos de ponta como um aparelho que realiza tomografia contrastada, o que traz mais precisão no diagnóstico. equipamento de Raio-X digital, camas novas, respiradores, além de uma torre de videolaparoscopia.

“Estamos recebendo investimentos constantes da Sesapi para a melhoria da estrutura física e de maquinário, para auxiliar no tratamento da alta complexidade em neonatologia e obstetrícia no Piauí”, lembra Francisco Macêdo.