Barro Duro - PI

Família pede ajuda para construir quarto para jovem em Barro Duro

Michely que é natural de Barro Duro, está atualmente internada no Hospital Getúlio Vargas (HGV), e terá alta nos próximos dias.

Andressa Martins
Teresina
Débora Dayllin
Teresina
05/12/2018 17h53 - atualizado 07/12/2018 08h57

A família da piauiense Michely Lopes de Andrade, está pedindo ajuda para construir um quarto adaptado para a jovem que está acometida de uma doença neurológica desconhecida após dar à luz a seu segundo filho na Maternidade Dona Evangelina Rosa, em Teresina.

Michely que é natural de Barro Duro, tem 28 anos e está atualmente internada no Hospital Getúlio Vargas (HGV), e terá alta nos próximos dias, motivo pelo qual a família está preocupada sem saber para onde levá-la já que sua casa é humilde e não tem condições de recebê-la nesse estado.

  • Foto: DivulgaçãoMichely Lopes de AndradeMichely Lopes de Andrade

A prima de Michely, Greice, contou ao GP1 como a piauiense ficou doente. “Ela veio com a cunhada para ter o bebê aqui em Teresina no dia 02 de agosto deste ano, enquanto a mãe dela viajou até Barro Duro para ficar com a outra filha dela. Ela ganhou o bebê na Evangelina Rosa chegou a amamentar, tirou fotos. Mas no outro dia ela sentiu uma forte de dor de cabeça, uma tontura, tomou um medicamento aplicado por uma enfermeira da maternidade, mas logo em seguida, ao invés de melhorar ela gritava de dor, aí foi direto para a UTI”, contou Greice.

“Fizeram vários exames nela, inclusive de meningite, mas até hoje não temos o diagnóstico preciso do que levou a isso. Ela passou uma semana na maternidade depois foi pro HGV porque lá trabalha problemas neurológicos melhor. Mas também não deram um diagnóstico preciso, só informou que veio de lá (Evangelina), mas médico é uma classe unida, dificilmente vão colocar culpa no colega. Ela ficou três meses na UTI e agora está na enfermaria”, revelou a prima.

Segundo Greice, Michely terá alta nos próximos dias e a casa não é adaptada para suas novas necessidades. “Eles chegaram a decretar morte cerebral, quiseram até desligar os aparelhos, mas no outro dia ela reagiu, mexeu o braço. Ela já começou a abrir os olhos, perdeu a visão de um olho, mas já está na fila de transplante. Ela escuta, mas não é totalmente consciente. Ela está saindo do hospital porque não tem mais infecção, nem febre, portanto há risco de contrair infecção hospitalar”, afirmou.

“A casa dela é bem humilde, aí estamos querendo construir um quarto adequado para receber ela com segurança e comodidade, para ver se ela se recupera agora que vai sair daquele ambiente hospitalar. Precisamos fazer tudo adaptado, banheiro, colocar ar-condicionado porque nosso estado é bem quente e ela ainda não sai da cama. Alguns pedreiros já se manifestaram lá em Barro Duro para ajudar”, completou.

Quem quiser ajudar Michely pode entrar em contato através dos números: (86) 99838-4614 / 99960-7637/ 99813-3838/ 99959-6916/99833-2516, ou depositar qualquer valor na conta informada abaixo.

Caixa Econômica Federal - Poupança

*Agência: 3827

*Operação: 013

*Conta: 00016450-6

MICHELY LOPES DE ANDRADE