Teresina - PI

Firmino Filho nega aumento do número de casos da covid-19 em Teresina

"É importante que a gente possa tomar a decisões baseadas em evidencias e não em achismos”, afirmou o prefeito.

Germana Chaves
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
16/10/2020 15h42 - atualizado 15h44

Nas últimas semanas o piauiense tem se deparado com informações que sinalizam para o aumento de casos e óbitos causados pela covid-19. O GP1 conversou com o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) que criticou, segundo ele, declarações baseadas em "achismos" acerca do assunto.

Firmino negou que a capital esteja em processo de alta da doença e afirmou que, diferente disso, desde de julho Teresina vem registrando queda em relação ao coronavírus. “É importante que se tenha uma análise dos dados. Simplesmente dizer que Teresina está em ascensão não é verdade. Teresina está em queda desde julho. Caiu julho, agosto e setembro. Em outubro está numa fase bem inferior do que era, está numa fase que tem alguma instabilidade. Sobe um pouco e desce um pouco, mas não existe tendência de crescimento, pelo contrário. É importante que a gente possa tomar a decisões baseadas em evidencias e não em achismos”, afirmou o prefeito.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Prefeito Firmino FilhoPrefeito Firmino Filho

Hospitais ociosos

Para embasar a informação de que Teresina não está sendo atingida com aumento de casos e óbitos da covi-19, Firmino disse que os hospitais direcionados à doença estão com a maioria dos leitos vazios. “Existe hoje uma ociosidade grande no Hospital do Monte Castelo. Lá tem 50 leitos e só tem 20 ocupados. No Hospital Pedro Balzi temos capacidade de 70 leitos, estamos com um pouco mais de 12 ocupados. Se utilizarmos todos os indicadores da doença, não podemos afirmar que estamos em ascensão. Simplesmente não bate com os dados”, ponderou.

Firmino Filho voltou a pedir para que se mantenham os cuidados recomendados para evitar a proliferação da covid-19 e ponderou a necessidade de se haver um preparo para o período de inverno, uma vez que, não se pode precisar como o vírus vai se comportar. “Avançamos muito nesse enfrentamento, mas a vitória final só vai acontecer quando tivermos a vacinação. Temos que ter cuidado, porque não sabemos o que vai acontecer no inverno. Tem que estar preparado, essa será uma tarefa do nosso novo prefeito que vai assumir em janeiro, assim como próprio Governo do Estado em relação ao interior. Não sabemos como é a situação sazonal desse vírus”, advertiu Firmino.

Fechamento Hospital Pedro Balzi

O chefe do Palácio da Cidade ainda acrescentou que devido a ociosidade de leitos direcionados a covid-19, a Fundação Municipal de Saúde avalia a possibilidade de fechar o Hospital de Campanha Pedro Balzi. “No presente estamos em situação de queda, com um limite bem reduzido em relação ao que foi, tanto que nossa capacidade hospitalar está ociosa. Já existe discussão na FMS sobre a possibilidade de desativação do Hospital Pedro Balzi, mas é importante que toda e qualquer decisão seja baseada em dados objetivos, não em picos, não em achismos”, finalizou o tucano.

NOTÍCIA RELACIONADA

Wellington pode adotar medidas rígidas após aumento nos casos de covid-19

Mais conteúdo sobre: