Política

Francisco Limma nega irregularidade em convênio firmado pela SDR

O deputado Francisco Limma informou ainda que a sua assessoria jurídica está tomando as devidas providências legais para a averiguação que o caso requer.

Wanessa Gommes
Teresina
15/01/2019 20h01 - atualizado 20h23

O deputado estadual Francisco Limma, ex-secretário de Desenvolvimento Rural, enviou nota de esclarecimento acerca da sentença proferida, nesta terça-feira (15) pelo juiz eleitoral Maurício Machado Queiroz Ribeiro, da 20ª Zona Eleitoral, que o deixou inelegível pelo prazo de 8 anos.

Em nota, o deputado afirmou que ainda não foi notificado e que a sua assessoria jurídica está tomando as devidas providências legais para a averiguação que o caso requer.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Francisco LimaFrancisco Lima

“(...) dentre as condutas investigadas na Ação, existe um convênio firmado entre a Prefeitura de São João do Piauí e a Secretaria de Desenvolvimento Rural – SDR, à época dirigida por Limma. Entretanto, tudo ocorrera com a lisura e dentro dos prazos legais que a lei eleitoral estabelece”, diz trecho do esclarecimento.

Na mesma ação ainda foram cassados os diplomas do prefeito e vice de São João do Piauí, Gil Carlos e Daniel Quintains, que também ficaram inelegíveis por 8 anos, assim como o ex-presidente da Fundespi, Vicente Sobrinho, e o ex-diretor do DER, José de Araújo Dias.

Confira abaixo a nota na íntegra:

Sobre matéria veiculada neste portal, citando o nome do Deputado Estadual Francisco Limma (PT-PI), o parlamentar informou que ainda não fora intimado da sentença da referida Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE, que tramita na Comarca de São João do Piauí, envolvendo a candidatura do Prefeito Gil Carlos e algumas supostas condutas vedadas imputadas àquele gestor.

O Deputado, contudo, tomou conhecimento – informalmente – de que, dentre as condutas investigadas na Ação, existe um convênio firmado entre a Prefeitura de São João do Piauí e a Secretaria de Desenvolvimento Rural – SDR, à época dirigida por Limma. Entretanto, tudo ocorrera com a lisura e dentro dos prazos legais que a lei eleitoral estabelece.

O Deputado Francisco Limma informa, ainda, que a sua assessoria jurídica está tomando as devidas providências legais para a averiguação que o caso requer e, se necessário, entrará com as medidas cabíveis para esclarecer os fatos e assegurar que a lei e os direitos individuais sejam respeitados.