Teresina - PI

Fundação Municipal de Saúde inicia campanha contra gripe A/H1N1

Em nota, a fundação informou que as doses da vacina já estão sendo disponibilizadas na zona urbana e rural da capital. As doses ficarão disponíveis até o fim da campanha, no dia 31 de maio.

Natalia Lima
Teresina
09/04/2019 11h20 - atualizado 11h23

A Fundação Municipal de Saúde divulgou, nesta segunda-feira (08), por meio de nota, que a campanha contra a gripe Influenza A/H1N1, inicia nesta quarta-feira (10). Segundo a FMS, a rede pública de saúde de Teresina deve receber cerca de 230 mil doses da vacina só neste ano.

Em nota, a fundação informa que as doses da vacina já estão sendo disponibilizadas na zona urbana e rural da capital. As doses ficarão disponíveis até o fim da campanha, no dia 31 de maio. Das 230 mil doses previstas para serem entregues à capital, cerca de 82 mil já foram recebidas.

O dia 4 de maio foi escolhido pela FMS como o dia D de Mobilização. A informação é de que a programação do dia ainda está sendo fechada, mas que irá contemplar posto extras tanto na zona rural quanto na zona urbana.

Quem deve ser vacinado:

Gestante e puérperas, crianças de 6 meses à 5 anos de idade, maiores de 60 anos, profissionais da saúde, pessoas de qualquer idade com doenças crônicas, população indígena, pessoas privadas de liberdade, professores da rede pública e privada e trabalhadores do sistema prisional.

Medidas de proteção:

A diretora da FMS, Amariles Borba, em nota, alerta que "devemos lavar as mãos com água e sabão. Quem estiver gripado não visite recém-nascidos, gestantes ou paridas. Assim nós estamos cooperando na saúde tanto das crianças quanto dessas mulheres".

Confira a nota da FMS na íntegra:

A partir de quarta-feira (10) Teresina começa oficialmente a campanha contra a gripe (Influenza A/H1N1). As doses da vacina já estão sendo distribuídas nas Unidades Básicas de Saúde das zonas urbana e rural do município e ficarão disponíveis até o dia 31 de maio, quando a campanha se encerra. Sendo 4 de maio o Dia D de mobilização.

A rede pública municipal de saúde da capital deve receber 230 mil doses de vacina contra a Influenza em 2019. Já chegaram à capital quase 82 mil doses e novas unidades da imunização devem chegar ainda esta semana. De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Amariles Borba, as vacinas serão distribuídas em 104 locais. O presidente da FMS, Charles Silveira, alerta para a importância da adesão da população à vacina: “As notícias falsas que circulam sobre a imunização contra a gripe dificultam a cobertura vacinal desejada. Tem pessoas que acham que a vacina causa gripe, mas é preciso que saibam que isso não corresponde à realidade e, pelo contrário, a vacina é composta por vírus inativado, é segura, previne a doença e também complicações de saúde”, afirma.

A lista completa do grupo prioritário que precisa receber a dose de vacina contra a gripe pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é: gestantes e puérperas, crianças de 6 meses a 5 anos de idade, maiores de 60 anos, profissionais da saúde, pessoas de qualquer idade com doenças crônicas (diabetes, doenças cardíacas e respiratórias, distúrbios que comprometem a imunidade, como o câncer, e outras), população indígena, pessoas privadas de liberdade, professores da rede pública e privada e trabalhadores do sistema prisional.

Amariles Borba orienta que a higienização é uma das principais medidas de proteção contra a gripe. "Devemos lavar as mãos com água e sabão. Quem estiver gripado não visite recém-nascidos, gestantes ou paridas. Assim nós estamos cooperando na saúde tanto das crianças quanto dessas mulheres", alerta.

Diferente de outras doenças, a gripe precisa de campanhas de vacinação anual. Isso ocorre por características do próprio vírus, que, aos poucos, naturalmente, modifica-se geneticamente. Dessa forma, é necessário rever, a cada ano, os vírus que mais estão se propagando para adaptar a imunização, que dura de seis a 12 meses. Além disso, trata-se de uma doença que tem um forte impacto na sociedade, com risco de morte muito alto (aproximadamente 650 mil pessoas morrem no mundo por ano, em virtude da influenza A/H1N1).

Mais conteúdo sobre: