Ciência e Tecnologia

Governadores da Amazônia Legal defendem uso do dinheiro do G-7

Sem entrar em polêmica com Bolsonaro, chefes do Executivo dizem que toda ajuda é bem-vinda no combate aos incêndios florestais.

Por  Estadão Conteúdo
27/08/2019 12h05

Antes da reunião com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), governadores dos Estados que formam a Amazônia Legal defenderam aceitar recursos de outros países para combate ao incêndios florestais.

O governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), fez um apelo para que as ofertas sejam ampliadas, além dos R$ 83 milhões já oferecidos pelo G-7. Barbalho evitou entrar em polêmica com o governo federal e não se posicionou sobre recusar a oferta do grupo de países mais ricos do mundo, medida anunciada pelo Planalto na segunda-feira, 26.

Bolsonaro condicionou nesta terça-feira, 27, receber o dinheiro a uma retratação do presidente da França, Emmanuel Macron.

Aliado do Planalto, o governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), disse que toda a ajuda é bem-vinda. Ele defendeu ampliação sobre quais áreas podem ser exploradas na região, seguida da regularização fundiária.

"Assim fica claro quando se comete um crime ambiental", declarou Denarium.

Segundo o governador de Roraima, Bolsonaro não demorou para agir contra o incêndio.

"Chegou o momento exato. Não é o maior incêndio florestal da nossa história. O que existe agora é cuidado maior do governo federal, aliado aos Estados", afirmou ele.

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), disse que a região precisa dos recursos do G-7. Ele defendeu ainda elaboração de uma "política permanente de combate ao desmatamento".

Amazônia Legal

A Floresta Amazônica, também conhecida como Amazônia, é a maior floresta tropical em biodiversidade do mundo. Ela cobre a maior parte da Bacia Amazônica da América do Sul, abrangendo cerca de 5,5 milhões de quilômetros quadrados. A floresta ocupa partes do território de nove países diferentes - 60% de sua área se encontra em território brasileiro.

A área delimitada da floresta no Brasil é denominada "Amazônia Legal", a partir da definição da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), de 1966.

A Amazônia Legal é formada por nove Estados brasileiros: os sete da Região Norte (Acre, Amapá, Amazonas, Pará Rondônia, Roraima, Tocantins), Mato Grosso e Maranhão.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Bolsonaro participa de reunião com governadores da Amazônia

Queimadas reforçam o temor do Planalto com Sínodo da Amazônia

Bolsonaro recusa US$ 20 milhões do G-7 para conter fogo na Amazônia

Mais conteúdo sobre: