Teresina - PI

Grande Dirceu é a região que mais atrai empresas, diz Prefeitura de Teresina

Segundos dados da Junta Comercial do Piauí (Jucepi), até o momento são 1.002 empreendimentos funcionando na região. 

11/09/2019 17h41 - atualizado 12/09/2019 10h20

O Grande Dirceu é a região que mais atrai empresas na Capital, ficando atrás do centro da cidade, segundo dados da Junta Comercial do Piauí (Jucepi), divulgados pela Prefeitura de Teresina nesta quarta-feira (11). Segundo a PMT até o momento 1.002 empreendimentos estão funcionando na região.

“Há uma quantidade de consumidores que mora nas localidades e outras zonas cidade que compram seus bens e serviços região, sem necessidade de deslocamento para outras áreas da cidade”, ressaltou o superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd.

De acordo com a Prefeitura de Teresina, a região também vem recebendo investimentos significativos em infraestrutura, especialmente nas áreas de pavimentação e iluminação pública. Ainda conforme a prefeitura, mais de R$ 1 milhão foi investido em obras de asfaltamento.

A Prefeitura informou ainda que foram aplicados mais de R$ 457, 8 mil até o momento, com instalação de 228 luminárias LED. Os investimentos contemplaram nove praças, sendo que em oito delas os trabalhos foram finalizados e uma está em execução.

A Almaviva do Brasil Telemarketing e Informática S/A investiu mais de R$ 31,8 milhões, gerando cerca de 3500 novos empregos diretos.

É importante destacar que a maioria dos colaboradores da empresa se concentra na faixa etária de 18 anos ou mais, que representam 68% da População Economicamente Ativa-PEA. Ressalta-se, que esta faixa etária, é a que mais sofre com o desemprego.

Outra empresa que enxergou o potencial econômico na região foi a Assaí Atacadista, que se instalou em janeiro de 2017. A rede escolheu a capital piauiense para instalar sua 124ª unidade, realizando um investimento de mais de R$ 40 milhões. Somente no momento de instalação foram gerados 560 empregos diretos e indiretos. Hoje o número de empregos na região do Itararé ligados à cadeia produtiva deste grande atacadista gira em torno de 900 pessoas. Os números de postos entre diretos e indiretos estão diluídos entre pequenos e médios comerciantes, transformadores (donos de lanchonetes, restaurantes, pizzarias), consumidores finais, atraídos pelo preço baixo e economia característicos do setor.

Mais conteúdo sobre: