Piauí

Hemopi: campanha estimula o aumento de doadores de medula óssea

A campanha teve início no dia 14 de setembro e segue até o dia 19 deste mês.

Kamilo Carvalho
Teresina
16/09/2020 11h41 - atualizado 11h43

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí (Hemopi) está realizando uma mobilização em suas redes sociais para estimular o cadastro para doação de medula óssea e lembrar o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea, comemorado em 21 de setembro. A campanha teve início no dia 14 de setembro e segue até o dia 19 deste mês.

De acordo com informações do Hemopi, um levantamento feito com os hemocentros de todo o país apontou uma diminuição de cerca de 30% na procura para se tornar um voluntário doador desde o início da pandemia. Um dos motivos que influenciam na redução de cadastros é o medo da contaminação por coronavírus ao sair de casa.

No Piauí, existem cerca de 93.312 mil doadores. O Hemopi segue os protocolos e se adequa às exigências das autoridades de saúde em relação ao distanciamento e à segurança.

“Instalamos uma cabine de desinfecção na entrada principal do hemocentro, estamos fazendo a sanitização das nossas unidades de forma regular, isolamos os assentos para respeitar o distanciamento mínimo de 1,5m, o doador ao chegar no Hemopi tem a temperatura aferida e à disposição mais locais para higienização das mãos, além do uso obrigatório de máscara”, explicou Jurandir Martins, o diretor do Hemopi.

Para se tornar um doador de medula óssea é necessário ter entre 18 e 55 anos, estar em bom estado de saúde, não ter doença infecciosa e não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico

Mais conteúdo sobre: