Brasília - DF

"Independência de nada vale se não tivermos liberdade", diz Bolsonaro

O presidente deixou o Alvorada em carro aberto, no Rolls Royce presidencial, com um de seus filhos, o vereador Carlos Bolsonaro.

Por  Estadão Conteúdo
07/09/2019 12h05 - atualizado 12h45

O presidente Jair Bolsonaro convocou neste sábado, 7, todos os brasileiros a comparecerem às comemorações do 7 de Setembro, Dia da Independência, em suas cidades. Bolsonaro foi ao desfile em Brasília em carro aberto nesta manhã. No evento, afirmou que a independência de nada vale se não houver "liberdade".

"Independência de nada vale se não tivermos liberdade, essa por tantas e tanta vezes ameaçada por brasileiros que não têm outro propósito a não ser o poder pelo poder", disse, antes de deixar o Palácio do Alvorada, residência oficial, às 8h55.

Bolsonaro deixou o Alvorada em carro aberto, no Rolls Royce presidencial, com um de seus filhos, o vereador Carlos Bolsonaro, sentado no banco traseiro, e de Ivo Cesar González, um menino de 9 anos que foi convidado pelo presidente a acompanhar o percurso. Na chegada à Esplanada dos Ministérios, onde ocorre desfile, crianças o receberam com gritos de "mito".

Ao descer do carro, o presidente ao palanque após cumprimentar o vice Hamilton Mourão, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, o governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha e Marcos Pereira, presidente interino da Câmara dos Deputados, que representa o presidente da Casa Rodrigo Maia, que está em viagem oficial ao Oriente Médio até 10 de setembro.

Bolsonaro assiste ao desfile acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, que veste um vestido amarelo. No palanque, ao lado do presidente, estão o dono da rede de televisão SBT, Silvio Santos, acompanhado de sua mulher, Iris, e dono da Record e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, o dono da Rede TV, Marcelo Carvalho, e o presidente o empresário Luciano Hang, dono da Havan - de terno verde e gravata amarela.

Para marcar o 7 de Setembro, além de esquadrilha da Fumaça e desfile militar, ministros do governo gravaram o Hino Nacional em vídeo que deve ser apresentado neste sábado, 7, em telão em cerimônia em Brasília e distribuído nas redes sociais.

O Estadão apurou que a maioria dos 22 ministros aceitou cantar, como os generais Augusto Heleno (GSI), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e o almirante Bento Albuquerque (Minas e Energia) e ainda o ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública).

As filmagens foram feitas nos últimos dias e os participantes mantiveram segredo em suas redes sociais. O Planalto não confirma se o presidente Jair Bolsonaro ou a primeira-dama, Michelle, também participam do vídeo que será exibido no evento de Brasília.

Mais conteúdo sobre: