Teresina - PI

Jeová Alencar critica Kleber Montezuma e o chama de truculento

“Todo mundo sabe que o secretário de Educação é truculento (...) Ele emparedou diretores e professores para tentar engrenar uma candidatura de deputado", disse Jeová.

Germana Chaves
Teresina
11/07/2019 06h02 - atualizado 07h49

O presidente da Câmara de Teresina, vereador Jeová Alencar criticou com veemência a administração de Kleber Montezuma, secretário de Educação da Capital. Durante entrevista ao GP1 nesta quarta-feira (10), Jeová afirmou que o gestor age de maneira truculenta motivado por interesses políticos.

“Todo mundo sabe que o secretário de Educação é truculento. O professor Washington foi um dos melhores secretários que a prefeitura teve e não era um cara bruto. Não adianta dizer que [o modo de agir] não é político porque todo sabe que na eleição passada, ele emparedou diretores e professores para tentar engrenar uma candidatura de deputado. Tem uma creche que ajudo e a professora me pediu ajuda para as crianças, mas, não pude aparecer porque ela não seria nomeada diretora”, disparou Jeová.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Jeová AlencarJeová Alencar

Desabafo

Jeová Alencar fez o desabafo quando se posicionava contra o projeto de lei encaminhado à Câmara pelo prefeito Firmino Filho (PSDB) que proíbe professores da rede municipal de participar de assembleias durante dias letivos. O projeto foi aprovado com o aval de 21 vereadores. Apenas cinco parlamentares se posicionaram contra: Dudu Borges (PT), Deolindo Moura (PT), Cida Santiago (PSD), Zé Nito (MDB) e Major Paulo Roberto (SD).

“Tudo mundo sabe que não tomamos posicionamento por hipocrisia ou por impulso. A gente defende aquilo que acredita. Aquele projeto foi rejeitado no ano passado e veio agora de novo sem discussão, votado em regime de urgência especial. Os professores têm todo direito de ir a assembleia de seu Sindicado. Precisamos dar melhores condições de trabalho e salários. Isso é um retrocesso proibir o professor de ir a assembleia. Foi um erro da Prefeitura”, lamentou Jeová Alencar.

NOTÍCIA RELACIONADA

Projeto de Firmino Filho é aprovado e causa revolta em professores