Piracuruca - PI

Juiz nega liberdade a policial acusado de matar vigilante em Piracuruca

A decisão foi dada pelo juiz Rogério de Oliveira Nunes, da Comarca de Piracuruca no último dia 17 de julho.

Davi Fernandes
Teresina
31/07/2020 20h00

O juiz Rogério de Oliveira Nunes, da Comarca de Piracuruca, manteve a prisão preventiva do policial civil Lucimar Alves Gomes, acusado de assassinar a tiros o vigilante Francisco José Rodrigues no município de Piracuruca no dia 26 de março deste ano, por volta de 23h. A decisão foi dada no último dia 17 de julho.

Nos autos, o magistrado apontou que devido a gravidade do crime e as provas que comprovam tanto a materialidade quanto a autoria do delito, o acusado deve ser mantido preso, assegurando assim, a aplicação da lei penal.

“Bem, analisando o pedido formulado, observa-se, portanto, a gravidade concreta do crime, a existência de prova da materialidade e indícios suficientes de autoria, conforme decisão do auto de prisão em flagrante, agora reforçados pela conclusão do inquérito policial e pelo recebimento da denúncia, aptos a justificar a necessidade da segregação cautelar do agente para a preservação da ordem pública, a conveniência da instrução criminal e assegurar a aplicação da lei penal”, destacou.

Entenda o caso

O vigilante foi morto a tiros após uma discussão com um agente da Polícia Civil. O caso ocorreu no bairro Baixa da Ema, na cidade de Piracuruca.

Em entrevista ao GP1, o capitão Alexandre Augusto, comandante da 5ª Companhia do 12° Batalhão da Polícia Militar, afirmou que o crime foi consumado em via pública e ainda não se sabe o teor da discussão que motivou o crime. O policial civil é o principal suspeito de ter efetuado os disparos.

Francisco não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para realizar a remoção do corpo da vítima.

NOTÍCIA RELACIONADA

Vigilante é assassinado em Piracuruca e policial civil é suspeito

Mais conteúdo sobre: