João Costa - PI

Juíza nega liberdade a acusado de assassinar ex-sogra em João Costa

A juíza Patrícia Luz Cavalcante considerou que a prisão preventiva do acusado segue fundamentada no princípio da materialidade e dos indícios da autoria.

Davi Fernandes
Teresina
07/01/2020 05h38 - atualizado 07h18

A juíza Patrícia Luz Cavalcante da Vara Núcleo de Plantão de São Raimundo Nonato, do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), negou o pedido de revogação da prisão preventiva de Alex Gomes Santana, acusado de assassinar a tiros a ex-sogra, identificada como Rita Aparecida de Sousa no município de João Costa. A decisão foi dada no último dia 3 de janeiro.

Nos autos, a magistrada considerou que a prisão preventiva do acusado segue fundamentada no princípio da materialidade e dos indícios da autoria, pois no dia 22 de dezembro de 2019, data em que o crime ocorreu, Alex teria a intenção de matar a ex-companheira.

  • Foto: Divulgação/PM PIAcusado de mata a ex-sogra na cidade de João CostaAcusado de matar a ex-sogra na cidade de João Costa

A juíza Patrícia Luz ainda apontou na decisão que a arma do crime não foi encontrada e nem apreendida, mesmo após diligências da polícia com o mandado de prisão expedido.

Prisão e crime

Alex Gomes Santana, acusado de matar a ex-sogra, foi preso pela Polícia Militar no dia 24 de dezembro no município de João Costa, 496 km de Teresina. Segundo a Polícia Militar, o suspeito tentou matar a ex-companheira e acabou atingindo a mãe dela, Rita Aparecida, com um tiro na cabeça. Rita chegou a ser encaminhada para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas acabou morrendo.

Outro homem, atual companheiro da filha de Rita, que também estava próximo, foi atingindo com três disparos e sobreviveu.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Suspeito de matar a ex-sogra é preso pela PM em João Costa

Homem baleado em João Costa não corre risco de morte, diz hospital

Mãe é baleada na cabeça ao tentar proteger a filha em João Costa