Teresina - PI

Justiça marca julgamento do policial civil Amarildo Carlos

Amarildo é acusado de atirar contra Francisco Elisson Araújo Gomes da Silva, no bairro Promorar em janeiro de 2017.

Davi Fernandes
Teresina
12/07/2020 08h30 - atualizado 20h22

A 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri de Teresina marcou para o dia 05 de agosto deste ano a audiência de instrução de julgamento do policial civil Amarildo Carlos de Oliveira Costa e Rafael Oliveira Costa, ambos irmãos acusados de tentativa de latrocínio contra Francisco Elisson Araújo Gomes da Silva, no bairro Promorar em janeiro de 2017.

Nos autos do processo consta que Rafael, na companhia de seu irmão e utilizando uma arma de fogo, se dirigiu até a residência de Francisco Elisson, no bairro Areias, e exigiu que a vítima lhe entregasse um cordão e uma aliança. Durante a ação os dois acusados efetuaram disparos de arma de fogo e prenderam a vítima junto com sua esposa e seu filho dentro de um banheiro.

“Consta nos autos que o autuado, em companhia do seu irmão Amarildo (policial civil) abordou a vítima e exigiu, mediante o uso de arma de fogo e grave ameaça, que esta entregasse sua aliança e seu colar. Consta, ainda, que os infratores efetuaram vários disparos em face de outra vítima e a trancaram junto a esposa e o filho em um banheiro, enquanto roubavam objetos na residência”, destacou o juiz Thiago Aleluia Ferreira de Oliveira, da Central de Inquéritos.

Outros crimes de Amarildo

Em 2012, a Corregedoria Geral da Polícia Civil instaurou um processo administrativo disciplinar contra Amarildo e outro policial por abuso de autoridade.

De acordo com a portaria nº 033/GAB/2012, os dois policiais teriam agido imoderadamente e praticando violência desnecessária contra “seguranças” do estabelecimento comercial “Caminho de Casa”, quando de uma abordagem policial, mesmo não havendo resistência ou fundado receio de fuga por parte dos abordados, contrariando normas legais. O fato teria ocorrido no dia 16 de abril de 2010, em Teresina.

Denúncia por peculato em 2017

O Ministério Público do Estado do Piauí, em 2017, ofereceu denúncia contra o policial civil Amarildo Carlos de Oliveira Costa acusado de peculato (subtração ou desvio por abuso de confiança, de dinheiro público ou de coisa móvel apreciável, para proveito próprio ou alheio, por funcionário público).

Segundo inquérito policial, no dia 23 de novembro de 2012, por volta das 8 horas, no bairro Porto Alegre, em Teresina, o denunciado, no exercício de suas atribuições de agente da Polícia Civil do Piauí, obteve a posse e se apropriou de vários bens, tais como câmeras fotográficas, relógios, pulseiras, aparelho de DVD, notebook, quantia em dinheiro, dentre outros, pertencentes a Valdeci Pereira da Silva.

Foi apurado que, naquele dia e horário, uma equipe de policiais integrada por Amarildo, outro policial civil e dois soldados da Polícia Militar, chegou à residência de Valdeci a fim de proceder a diligências acerca de uma notícia de que ali havia motocicletas de origem ilícita.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

MP-PI denuncia policial Amarildo Carlos à Justiça por peculato

Policial civil atira em três pessoas no bairro Promorar

Policial civil Amarildo já havia sido afastado por assalto

Delegado prende policial civil Amarildo no bairro Promorar

Delegado Riedel Batista quer a expulsão do agente Amarildo