Piauí

Mais de 50 pessoas morreram em acidentes nesse ano na BR 135

Os superintendentes Welendal Leal e Paulo de Tarso afirmaram que a geometria da rodovia federal potencializa a gravidade dos acidentes

Thais Souza
Teresina
31/12/2017 16h04 - atualizado 21/08/2018 15h58

Acidentes em 2017

O GP1 realizou a retrospectiva dos acidentes na BR 135, mais conhecida como rodovia da morte, e contabilizou 52 óbitos somente no ano de 2017, até o momento, número quase 4 vezes maior quando comparado com o ano de 2016. Em 2016, apenas 14 mortes foram registradas na BR 135. Os dados são da Polícia Rodoviária Federal no Piauí (PRF-PI).

Contando com a participação dos entrevistados Welendal Leal Tenório, superintendente da PRF, e Paulo de Tarso, superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), vários aspectos, dentre problemáticas e soluções da BR 135 foram esclarecidos.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Entrevista com Paulo de Tarso Cronemberger GomesEntrevista com Paulo de Tarso Cronemberger Gomes

De acordo com informações da PRF, houve uma restruturação na BR, o que promoveu uma maior segurança. O superintendente Welendal revelou que no feriado do Natal desse ano não foi registrado nenhum acidente na BR 135. O PRF ainda ressaltou que os números em relação a quantidade de mortos na rodovia, porém, não são tão reais, visto que muitos acidentes a PRF não é informada, pois o posto mais próximo é o de Bom Jesus e funciona de maneira precária. “Provavelmente temos números bem maiores, porque muitas mortes ocorrem no caminho do hospital ou no hospital”, explicou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Welendal Leal, da PRFWelendal Leal, da PRF

Acidentes com maior repercussão em 2017

Colisão com caminhão tanque deixa quatro pessoas carbonizadas

No dia 25 de fevereiro, dois adultos e duas crianças morreram carbonizadas em uma colisão frontal entre um veículo passeio e um caminhão tanque. O acidente ocorreu na BR 135, no quilômetro 618, próximo a cidade de Cristalândia do Piauí. A família era de Brasília-DF e estava no Piauí de passagem.

Estudante de matemática perde controle de carro e morre na BR 135

No dia 28 de maio, o estudante do curso de matemática do Instituto Federal do Piauí (IFPI) campus de Corrente, André Venícios Carvalho da Silva, morreu em um trágico acidente de carro na BR-135, próximo a cidade de Cristalândia do Piauí. O veículo conduzido pela vítima pegou fogo após o acidente.

Acidente envolvendo caminhonete deixa seis pessoas mortas

No dia 12 de junho, seis pessoas morreram em uma colisão frontal entre uma caminhonete e veículo de passeio na BR 135, km 372, localizada na cidade de Bom Jesus.

Ônibus tomba e deixa nove pessoas mortas

No dia 17 de junho, um ônibus interestadual da empresa Gênesis, que vinha de Sobral-CE com destino a São Paulo-SP, perdeu o controle em uma curva e acabou tombando. O acidente resultou na morte de nove pessoas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Bom Jesus, a ocorrência foi registrada no Povoado Paus.

Segundo o superintendente Welendel, o trecho em que o ônibus tombou é uma curva, onde o raio é muito acentuado. No local do acidente a pista foi alargada e refeito o acostamento. O PRF revelou que o motorista contou que cruzou com um caminhão, o que forçou ele a buscar o lado contrário da pista. “Inclusive, foi feita a retirada da defensa. Nesses casos de curva, ela tem a função de criar uma barreira, caso o veículo saia da pista ela evita o agravamento do acidente. No caso do ônibus, ele já vinha tombando e a defensa chegou a entrar na parte interna do ônibus”, disse.

Agente penitenciário morre após viatura da SEJUS capotar

No dia 9 de agosto, o agente penitenciário José Arimatéia Barbosa Leite morreu após a viatura da Secretaria de Justiça capotar na BR 135, entre as cidades de Cristino Castro e Alvorada do Gurguéia. O agente Emílio Rodrigues da Cunha Neto também estava no veículo, ficou ferido, e foi encaminhado para o hospital. O acidente aconteceu após um caminhão dar uma “fechada” na viatura do Comando de Operações Prisionais (COP), onde estavam os agentes.

A Polícia Rodoviária Federal fez ainda o registro de mais acidentes ocorridos ao longo da BR 135 com registro de mortes

Corrente

A maioria dos acidentes com mortes ocorreram no perímetro da cidade de Corrente. Colisões envolvendo ônibus com motocicleta, capotamento de veículo, perca de controle de caminhão, capotamento comvítima presa nas ferragens, tombamento de caminhonete, e perca de controle de carro seguida de capotamento.

Cristalândia

Ficando atrás somente de Corrente, Cristalândia é uma das cidades que mais tiveram acidentes fatais. As mais diversas causas foram verificadas nas tragédias, como motorista cochilarenquanto dirigia, capotamento, motorista dirigindo embriagado, colisão traseira veículo e motocicleta, e por último um capotamento que resultou na morte de uma criança de 8 meses de vida.

Cristino Castro

Segundo dados colhidos para a restrospectiva, três acidentes fatais ocorreram na cidade de Cristino Castro, dentre eles está a colisão entre uma carreta e uma motocicleta que acabou decepando a cabeça do motociclista, ônibus que forçou motorista de Land Rover a jogar o carro para fora da pista, e tombamento de caminhão.

Guadalupe

Em Guadalupe, o motorista de um caminhão morreu após ser atropelado por uma motocicleta no momento em que estava trocando o pneu do seu veículo. Além desse acidente, um mulher morreu após o esposo dela perder o controle da motocicleta.

Colônia do Gurguéia

Um homem foi vítima de capotamento, provavelmente, ocasionado por um desnível de mais de 20 cm entre o acostamento e a pista de rolamento da BR 135.

Bom Jesus

Motorista de Kombi e uma passageira morreram em uma colisão frontal contra um ônibus.

Eliseu Martins

O motorista de um caminhão de combustivel morreu após tombar o veículo. A vítima ficou presa nas ferragens.

Monte Alegre do Piauí

Um ônibus interestadual tombou e duas pessoas morreram, dentre as vítimas estava uma criança de apenas nove meses.

Problemas da BR

O superintendente Paulo de Tarso afirmou que a geometria da rodovia federal potencializa a gravidade dos acidentes:

“O problema da BR 135 é que de Eliseu Martins até Redenção de Gurguéia tem diferenças de níveis que chegam até 20 cm entre a pista e o acostamento. A BR 135 era uma rodovia estadual e ela foi federalizada, ela foi construída com padrão de rodovia estadual. Hoje, a pista está ótima, mas não tem acostamento. A geometria da rodovia não ajuda, pois as curvas são muitas fechadas, tem muito ‘sobe e desce’”, explicou Paulode Tarso.

“Não temos uma rodovia sinalizada e nem regulamentação de velocidade na BR 135. Estamos usando a lei geral de 100 km para rodovia, mas existem trechos que não comportam os 100 km, pois são trechos desprovidos de sinalização vertical de velocidade, só terá a limitação nas entradas das cidades. Não temos um posto entre Eliseu Martins e Cristalândia”, disse o PRF.

Possíveis soluções

Com objetivo sanar os problemas da BR 135 o DNIT iniciou o projeto Contrato de Recuperação e Manutenção de Rodovias Federais (CREMA), em 2012. O programa contempla a inclusão das faixas laterais de segurança, além da pista. Dentro do CREMA em 46 km foram realizadas melhorias nos acostamentos no padrão BR, já que a rodovia foi construída no padrão de estadual, e não federal. Somente no ano de 2017, o DNIT investiu cerca de R$ 85 milhões na BR 135, mas ainda falta muitos quilômetros para serem recuperados, porém, para realizar a obra o DNIT necessita de recursos federais.

O inspetor Welendal informou que a PRF-PI, através de uma portaria a nível nacional, elencou que na BR 135, nos feriados prolongados, haverá restrições em relação a circulação de veículos pesados, pois de acordo com um relatório produzido pela instituição, foi verificado que a maioria dos acidentes são envolvendo carretas, porque na medida que um veículo pequeno cruza com um veículo pesado, o último força o outro a procurar o acostamento. A portaria incluiu ainda os feriados locais.