Piauí

Marcos Aurélio Sampaio critica fala da ministra Damares Alves

“Foi uma frase repleta de preconceito e de radicalismo na qual quis separar determinadas coisas, sejam roupas, brinquedos, profissões, atividades, eu discordo totalmente disso", afirmou.

Wanessa Gommes
Teresina
03/01/2019 21h11 - atualizado 21h26

O vídeo no qual a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, fala que "menino veste azul e menina veste rosa" tem repercutido, principalmente, nas redes sociais. Aplaudida por apoiadores, ela diz ainda que o País vive uma "nova era". Posteriormente, a ministra explicou que a declaração foi uma metáfora contra a ideologia de gênero.

No Piauí, o deputado federal eleito, Marcos Aurélio Sampaio, postou uma foto em seu instagram em que aparece vestido com uma camisa rosa com a seguinte legenda “menino veste azul e menina veste rosa?? Como assim??”. Em seguida, ele fez vários stories para explicar a publicação porque a mesma, segundo ele, causou polêmica.

  • Foto: Instagram/Marcos AurélioPostagem de Marcos AurélioPostagem de Marcos Aurélio

“No meu entender ela pode sim não ter falado aquilo ao pé da letra dizendo que ela acredita que todo homem tem que vestir azul e que toda mulher tem que vestir rosa e ter falado em tom de brincadeira, mas nós temos que entender também que os ministros de Estado, que todas essas pessoas que foram eleitas, aquilo que se fala repercute e temos que ter muito cuidado com essa repercussão. As falas de ministro de Estado, presidente da República repercutem inclusive internacionalmente no mercado financeiro seja na atração de investimentos”, afirmou.

O futuro deputado respondeu ainda a questionamentos de internautas sobre como ele seria um elo de ligação entre o Piauí e o Bolsonaro se estava discordando com uma ministra dele: "Eu sei discordar das opiniões, eu sei concordar com as opiniões, discordo de muita coisa, concordo com muita coisa, quem quiser pode até olhar no meu Facebook, perfil pessoal, lá em 2016, eu já concordando com muita coisa, que na época o deputado federal, Jair Bolsonaro, falava, tinha projetos de lei, e eu concordava publicamente e debatia no meu Facebook. Tô aqui pra lutar pelo progresso do Brasil e pelo progresso do Piauí podem contar comigo", garantiu.

Marcos Aurélio classificou a fala da ministra como preconceituosa e radical: “Foi uma frase repleta de preconceito e de radicalismo na qual quis separar determinadas coisas, sejam roupas, brinquedos, profissões, atividades, eu discordo totalmente disso, não concordo que tem roupa de homem, não concordo que tem roupa de mulher, não existe cor de homem, não existe cor de mulher, pra mim todo mundo tem que ser aquilo que deseja ser na sua vida”, declarou.

Ele aproveitou ainda para dizer que é contra que a ideologia de gênero e sexualidade sejam matérias nas escolas: “Isso eu tenho uma posição formada de ser realmente contra porque vão ensinar esses assuntos, que devem sim ser tratados pela família com os pais, em detrimento de ensinar matérias que vão sim preparar e aperfeiçoar nossas crianças em matérias e assuntos que vão ser sim exigidos no mercado de trabalho que está cada vez mais exigente com a nossa população e os profissionais”, relatou.

“Em relação a esse ponto, de colocar determinadas matérias em detrimento de assuntos que sejam relevantes ao mercado de trabalho, minha posição está bem firmada. Nós precisamos que nossas escolas sejam locais que ensinam os alunos pra produzir, trabalhar, pra gerar riqueza, pra gerar mais tecnologia ao nosso país e assim, trazer progresso, sempre respeitando as diferenças, as divergências, as diversidades de um país que é tão miscigenado como o nosso”, finalizou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

'Fiz uma metáfora contra ideologia de gênero', diz Damares sobre vídeo

Themístocles diz que Marcos Aurélio fará elo entre Bolsonaro e Piauí