Cocal - PI

Marden comemora indenizações das vítimas da tragédia de Algodões

"A reparação material do que foi perdido, de certa forma, acalenta o sofrimento das pessoas, mas o mais grave de tudo foi a perda de referência”, afirmou.

PRISCILA CALDAS
15/12/2016 12h11 - atualizado 13h59

 A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), aprovou nessa quarta-feira (13), o projeto que prevê o acordo entre o Governo do Estado e as vítimas da barragem de Algodões, em Cocal, no Norte do Estado, que aguardam pelo pagamento de indenizações desde o dia 27 de maio de 2009, onde nove pessoas morreram e centenas ficaram desabrigadas, após 50 milhões de metros cúbicos de água terem sido liberados em meio ao rompimento da barragem.

O deputado estadual Marden Menezes (PSDB), disse que o dia de ontem (13) foi um momento histórico para as vítimas dessa tragédia. “São mais de sete anos lutando pela reparação dos direitos de famílias que perderam tudo que conquistaram em suas vidas. A reparação material do que foi perdido, de certa forma, acalenta o sofrimento das pessoas, mas o mais grave de tudo foi a perda de referência”, afirmou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Marden MenezesMarden Menezes

“Agora, nesse momento, parte também aquela sensação de que todo trabalho, de que todo esforço, de que todo o empenho para chegar neste dia valeu a pena. Nós nos sentimos extremamente recompensados por esse esforço, chegando agora a um passo de resolver uma questão histórica, que é o pagamento das indenizações para as famílias vitimadas pelo rompimento da barragem de Algodões”, complementou Marden Menezes.

O projeto, que foi aprovado pelos deputados estaduais, foi acompanhando por uma comissão de procuradores do Estado e representantes das vítimas junto ao Governo e à Justiça, após o envio da Mensagem do Governo Estadual, que põe fim ao litígio entre as famílias vítimas da tragédia de rompimento da Barragem de Algodões, através de um acordo.

O processo AL 12046/16 - do Poder Executivo - firma acordo para que as famílias retirem da Justiça todas ações coletivas e individuais contra o Estado pelas indenizações da tragédia. Pelos cálculos atuais, o Estado do Piauí teria que desembolsar 300 milhões para indenizar as vítimas. Com o acordo, serão pagos algo em torno de R$ 60 milhões, divididos em trinta parcelas.

Mais conteúdo sobre: