Teresina - PI

Margarete nega atrito com Mainha e explica indicação de Sádia

Após reunião da cúpula do Progressistas na residência do senador Ciro Nogueira, a deputada federal descartou qualquer desavença e explicou a indicação de sua irmã à secretaria do Meio Ambiente.

Jonas Carvalho
Teresina
Germana Chaves
Teresina
07/05/2019 08h20 - atualizado 08h34

A deputada federal Margarete Coelho (PP) declarou na manhã desta segunda-feira (06), após reunião da cúpula do Progressistas na residência do senador Ciro Nogueira (PP), que não possui qualquer desavença com o ex-deputado federal Maia Filho, o Mainha (PP).

Segundo a parlamentar, as críticas de Mainha não foram relevadas a ela. O impasse entre eles começou depois de o ex-deputado federal não ter ficado satisfeito com a indicação de Sádia Castro, irmã de Margarete, para a Secretaria do Meio Ambiente.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Deputada Margarete Coelho Deputada Margarete Coelho

“Eu não tomei como críticas pessoais, o que eu tinha para conversar com o deputado Mainha nós conversamos aqui [na reunião]. O governador queria um quadro técnico para a secretaria do meio ambiente, tendo em vista que é uma secretaria que tem peculiaridades e o partido tem a Sádia Castro”, justificou a deputada.

Margarete ainda explicou a indicação de Sádia para a pasta. “É minha irmã, mestra, doutora e pós-dutora em educação ambiental. O currículo que a Sádia Castro tem eu acho que poucos professores no Brasil têm, principalmente na questão do meio ambiente. Tendo em vista algumas situações que o governador quer desenvolver no meio ambiente do estado, a característica de o estado do Piauí ser um dos estados com menos área devastada e as possibilidades que isso pode oferecer, o governador optou por um quadro técnico, por alguma que tem esperteza na pasta”, disse.

"Todos têm o direito de se inconformar"

Depois de ter sido reforçado o questionamento acerca de um possível impasse com Mainha, sobretudo, após as reclamações públicas dele, Margarete mais uma vez evitou polemizar a questão. A deputada disse apenas que a fala do ex-deputado é ‘uma posição pessoal dele’.

“Eu não sei se ele está esperneando, essa é uma posição pessoal dele, isso vai de cada um. Eu dialogo dentro do partido, eu converso, dialogo com as lideranças. Todo mundo tem o direito de se inconformar, de declarar os seus inconformismos com as situações”, disparou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1MainhaMaia Filho

Ciro, amigo pessoal

A deputada federal não mediu palavras para elogiar o senador Ciro Nogueira, que também é o presidente da legenda. Questionada se havia buscado contato com o senador antes de levar o nome de Sádia ao Karnak, Margarete disse que Ciro é seu confidente dentro e fora do partido, além de passar todas as movimentações políticas pelas mãos do presidente.

“O senador Ciro não é simplesmente o presidente do meu partido, ele é meu amigo pessoal, é meu irmão, é alguém que eu confio e não só decisões políticas, mas decisões pessoais também eu gosto de ouvi-lo. Quanto se é pertinente a decisões do partido, toda decisão que eu tomo politicamente, eu tenho obrigação e faço isso com muito prazer e confiança em comunicar o senador Ciro”, completou.