Política

Marilene Aguiar diz que Eurípedes Júnior segue no comando do PROS

A decisão de destituir Eurípedes Júnior foi unânime após decisão do Diretório Nacional. O presidente é acusado de desviar recursos dos fundos partidário e eleitoral e lavagem de dinheiro.

Andressa Martins
Teresina
13/01/2020 15h02 - atualizado 15h04

A presidente estadual do PROS, Marilene Aguiar, disse em entrevista ao GP1 na manhã desta segunda-feira (13) que Eurípedes Júnior segue no comando nacional da sigla. O partido informou nas redes sociais no último sábado (11) que havia destituído o presidente.

Segundo Marilene, todos permanecem tranquilos e Eurípedes segue no comando e a publicação sobre destituição do presidente, conforme informou à reportagem, foi uma tentativa de ‘invasão’ do poder.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Eurípedes Júnior e Marilene AguiarEurípedes Júnior e Marilene Aguiar

“Está tudo tranquilo, a gente tem contato com a Nacional e todos os dias eles entram em contato informando que está tudo ok, nada mudou. Houve esse tumulto e para a gente está tudo tranquilo. O Eurípedes continua sendo presidente, não mudou nada”, explicou.

Marilene contou ainda que soube da destituição de Eurípedes Júnior por meio das redes sociais. “Ele não foi afastado, foi simplesmente uma tomada que fizeram lá, uma invasão. Fizeram uma reunião e lá nesta reunião fizeram uma diretoria e anunciaram no Instagram do partido que havia destituído o Eurípedes. Imediatamente liguei para lá e perguntei que história era essa. O Felipe, presidente de honra do partido, me respondeu para ficar tranquila que foi uma invasão e contou a mesma história da nota pública”, continuou.

Destituição do partido

A decisão de destituir Eurípedes Júnior foi unânime após decisão do Diretório Nacional. O presidente é acusado de desviar recursos dos fundos partidário e eleitoral e lavagem de dinheiro. Eurípedes teria comprado um helicóptero.

“Não restou alternativa à Direção Nacional. Foi preciso fazer valer o uso dos dispositivos previstos no Estatuto Partidário para encerrar a escalada de desmandos, evitar o desvio dos recursos públicos e preservar à imagem da instituição e dos seus milhares de filiados em todo o Brasil. Desde 2015, quando Eurípedes Junior adquiriu um helicóptero no valor de R$ 2,4 milhões para uso pessoal e com recursos do Fundo Partidário, os membros do Diretório Nacional e a maioria dos filiados passaram por um grande constrangimento público, tendo como consequência considerável número de desfiliações. Inúmeros foram os apelos, na época, para que o então presidente declinasse da compra ou do uso da aeronave, sem êxito”, informou a sigla.

Defesa de Eurípedes

Em nota Eurípedes informou que aconteceu uma “tentativa natimorta de golpe partidário” e que “buscará todos os meios institucionais para regularizar a situação jurídica e política do partido, o mais rápido possível, bem como buscará a responsabilização dos envolvidos”.