Saúde

Ministério da Saúde: 'Brasil não terá mesmo número de mortes que a Itália'

Pasta evita fazer projeções, mas espera curva de infecção menor do que a do país europeu.

Por  Estadão Conteúdo
26/03/2020 20h48

Trinta dias após a confirmação do primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, o Ministério da Saúde evitou fazer projeções sobre o avanço da doença no País. Em coletiva nesta quinta-feira, 26, o secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, afirmou que não serão divulgadas previsões de contágio e de óbitos.

A expectativa da Ministério, contudo, é de que o Brasil não terá nível equiparado de mortes como as da Itália, país com o maior número de baixas até então e que está perto de ultrapassar a China no número de casos de infectados, com mais de 80 mil registrados. “Esperamos não ter crescimento abrupto (da curva de infecção) como a Itália”, disse.

Gabbardo informou ainda que o governo trabalha com uma expectativa de aumento de casos diários em 33% em relação ao dia anterior. Ele enfatizou que o País tem ficado abaixo dessa porcentagem.

O secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira destacou, entretanto, que o Brasil ainda está no início da sua epidemia. “Estamos tentando transformar nossa montanha em um morrinho, mas vamos continuar tendo que escalar ela”, afirmou se referindo a curva de infecção do País. Ele também opinou ser cedo para avaliar a eficácia de medidas tomadas pelo governo e pelos Estados, como as orientações de isolamento social.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

'Estamos com três epidemias simultâneas', diz Ministério da Saúde

Mortes por coronavírus no Brasil sobem para 77, diz Ministério da Saúde